domingo, 21 de julho de 2024

Porto do Itaqui é premiado por ter a segunda melhor gestão portuária do Brasil

O Porto do Itaqui foi reconhecido como a segunda melhor gestão portuária do país durante o prêmio Portos +Brasil, concedido pelo Ministério de Portos e Aeroportos (MPOR), que avalia e reconhece o desempenho dos melhores portos públicos brasileiros. O governador Carlos Brandão participou da solenidade realizada em Brasília na noite da última quarta-feira (9).

Na edição de 2023 da premiação, o porto público do Maranhão conquistou a segunda colocação entre os portos brasileiros, de acordo com o Ranking do Índice da Gestão das Autoridades Portuárias – IGAP, categoria principal da premiação concedida pelo MPOR.

“Esta premiação estimula o Governo do Maranhão a continuar trabalhando para tornar o Porto do Itaqui cada vez mais referência no setor portuário. Nosso porto tem condições naturais privilegiadas e toda a infraestrutura necessária para as operações de importação e exportação de mercadorias, sobretudo de grãos. Já temos um planejamento de investimentos para os próximos anos, sendo R$ 4 bilhões só da iniciativa privada, o que comprova que o Itaqui é hoje um dos portos mais atrativos do Brasil. Então, tenho certeza que vamos crescer ainda mais, gerando emprego e renda no nosso estado”, declarou o governador Carlos Brandão.

O ministro dos Portos e Aeroportos, Márcio França, destacou que o Porto do Itaqui é um dos mais bem avaliados entre os portos públicos do Brasil. “O Porto do Itaqui possui uma localização geográfica e condições naturais sem igual no nosso país, além de vir de uma sequência de gestões administrativas muito eficientes, o que faz dele o porto mais disputado do Brasil. É um porto que ainda tem muito potencial de expansão e tenho certeza que ele vai se consolidar cada vez mais como o mais importante de todo o eixo Norte do Brasil”, afirmou.

Ao lado do governador Carlos Brandão, o presidente do Porto do Itaqui, Gilberto Lins, ressaltou o Porto do Itaqui como um pilar fundamental da economia nacional e da infraestrutura logística do Brasil. “Esses resultados são inteiramente atribuídos à dedicação de nossa equipe, à colaboração valiosa de nossos parceiros e clientes, ao apoio que recebemos do governador Carlos Brandão, assim como à contribuição constante dos profissionais portuários que fazem parte dessa história de sucesso”, assinalou.

Gilberto Lins também pontuou os recentes recordes registrados no Porto do Itaqui, entre eles, a movimentação da soja, registrada em junho. “Estamos extremamente satisfeitos em compartilhar com o país os marcos recentes de nossa trajetória de sucesso. Em junho, estabelecemos uma marca histórica ao registrar uma movimentação recorde de soja, totalizando 2 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 6% em relação ao ano anterior”, informou.

Prêmio Portos +Brasil

O ranking nacional do IGAP é avaliado com base no Índice de Gestão das Autoridades Portuárias (IGAP), uma métrica composta por 15 indicadores que abrangem desde o retorno financeiro até a eficiência operacional, passando pela manutenção das vias aquaviárias, transparência e conformidade com as normas da ANTAQ. 

Nesse cenário, a administração do Porto do Itaqui se destaca, conquistando um lugar de prestígio no ranking nacional ao ser reconhecida como uma das gestões portuárias mais eficazes do país.

As demais categorias do Prêmio são Variação do Lucro Operacional – EBITDA, Execução de Investimentos Planejados, Crescimento da Movimentação Total dos Portos Públicos, Crescimento da Movimentação Total dos TUPs, Crescimento da Movimentação Granel Sólido Agrícola, Crescimento da Movimentação Granel Sólido Mineral, Crescimento da Movimentação Granel Líquido, Crescimento da Movimentação Container e Avanço IGAP.

A premiação contou com a presença do secretário Nacional de Portos, Fabrizio Pierdomenico; do secretário Executivo do Ministério de Portos e Aeroportos, Roberto Gusmão; e do diretor Geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), Eduardo Nery, dentre outras autoridades.

Porto do Itaqui

Em operação desde 1972, o Porto do Itaqui integra um complexo portuário instalado na área de influência da fronteira agrícola do MATOPIBA, que é a área formada pelos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí, Bahia.

A eficiência multimodal é fator decisivo para a competitividade do Porto do Itaqui. Suas conexões com importantes ferrovias e rodovias fazem do porto público maranhense um corredor logístico para o centro-oeste do país.

O Porto do Itaqui tem conexão ferroviária direta com a Transnordestina e a Estrada de Ferro Carajás. Há ainda uma conexão indireta com a Ferrovia Norte-Sul, o que possibilita transportar graneis sólidos minerais e vegetais, além de combustíveis.

O novo corredor ferroviário do Arco Norte, que liga o Porto do Itaqui, em São Luís, no Maranhão, a Palmeirante, no Tocantins, é mais uma vantagem logística que o porto maranhense oferece, pois barateia os custos do transporte de fertilizantes já que foi projetado para atender produtores situados em uma área que abrange os estados do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Bahia e Piauí, além do Tocantins, Maranhão e do Distrito Federal.

Além disso, o canal de acesso às instalações portuárias do Itaqui faz dele o porto mais profundo do Brasil, tendo nove berços operacionais com profundidades que variam de 12 a 19 metros, permitindo a atracação de navios de grande porte. Outra vantagem é sua proximidade com os mercados americano e europeu.

O Porto do Itaqui tem vocação para movimentação de graneis sólidos e líquidos. Em 2022, o porto movimentou o maior volume de cargas de sua história. De janeiro a dezembro, foram exportadas 33,610 milhões de toneladas de cargas, com destaque para os granéis sólidos, com 23 milhões de toneladas movimentadas, o que representa uma alta 19% em relação ao ano anterior.

– Publicidade –

Outros destaques