quarta-feira, 30 de novembro de 2022

Prefeito de São Luís, Eduardo Braide escolhe um lado na disputa pelo governo do estado

O prefeito de São Luís Eduardo Braide declarou voto no pré-candidato Weverton Rocha. Era uma das manifestações mais esperadas. As declarações paulatinas, estratégicas, entre outros adjetivos fazem parte do clima das eleições; de todas; essa de 2022, um clima carregado, chuvoso, relampejado, inundante. Pode ser que, na conclusão, mais se pareça com um tsunami.

Nenhuma surpresa na declaração de Braide; por conta de uma complexa rede de conexões que vem sendo desenhada desde as eleições municipais. Momento este, em que o Senador Weverton Rocha, contrariou a tendência do grupo que até então integrava, o grande e heterogêneo grupo de Flávio Dino, e declarou apoio ao então candidato de segundo turno Eduardo Braide, vencedor do pleito.

Embora o prefeito tenha demorado a prestar o apoio, ninguém imaginava um caminho diferente. Os meandros da política (principalmente nestes momentos de construção de candidaturas – e aprimoramento delas) são intensos e muitas vezes surpreendentes (por exemplo, a saída do deputado Othelino Neto do grupo pedetista). E geralmente se estendem até os últimos momentos: tudo pode acontecer.

Qual o peso do apoio do Prefeito de São Luís para as eleições estaduais? Existem vários termos (muitos do manual do blefador) no léxico político acionados nos momentos fundamentais, vamos deixá-los de lado e falar a língua dos homens. Eduardo Braide derrotou o governador do estado nas eleições de 2020.

A História (sempre sem tempo!) vai avaliar aquele contexto, mas, de antemão, sem recursos retóricos, foi uma vitória incontestável, contra um grupo imenso e muito poderoso. E não foi uma disputa ideológica, porque os candidatos eram todos de tendências semelhantes. Será que a população segue Braide, ou não segue “grandes e poderosos grupos”?

Pesquisas… pesquisas praquê?

O apoio de Braide deve ser trabalhado nos próximos dias e logo em seguida medido através de pesquisas (talvez as qualitativas – que a gente nunca vê –  mais do as que serão divulgadas). Aliás, a “guerra das pesquisas” está cada vez mais acirrada. No começo da semana, mais uma foi barrada pela justiça. Os detalhes técnicos da confecção de pesquisas, neste momento e neste espaço, pouco importam, assim como os detalhes jurídicos de permitir ou barrar esta ou aquela pesquisa. São forças políticas em ação.

Mas, provavelmente a declaração de Eduardo Braide, um político simpático e um prefeito estável podem fazer diferença no maior colégio eleitoral do estado. São muitas lideranças envolvidas. E embola um pouco mais, senão a disputa de homens, a disputa de máquinas.

– Publicidade –

Outras publicações