quinta-feira, 8 de dezembro de 2022

Projeto Casamento Comunitário une 30 casais da comunidade LGBTQIA+

Primeiro casal inscrito, as noivas Tamires Cavalcante e Ana Beatriz Barroso disseram sim perante a Justiça Foto: Josy Lord

O primeiro Casamento Comunitário gratuito para a comunidade LGBTQIA+ do Estado ocorreu no último sábado (8), na sede da Associação dos Magistrados do Maranhão – AMMA, com a participação de 27 casais na cerimônia presencial, e outros três casais em formato virtual diretamente das cidades de Bacabal, Balsas e Lago dos Rodrigues.

O casamento ofertou, gratuitamente, o acesso ao registro de casamento civil para casais constituídos por pessoas lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais em situação de vulnerabilidade social, celebrando o amor e a diversidade, contribuindo para a promoção dos direitos humanos, proteção e garantia dos direitos civis da comunidade LGBTQIA+ no Maranhão.

O evento realizado em parceria com o Tribunal de Justiça, Comitê de Diversidade do Poder Judiciário e apoio da AMMA, contou com a presença do desembargador Paulo Velten, presidente do TJMA; do desembargador Froz Sobrinho, corregedor-geral da Justiça; do desembargador Gervásio Santos, ex-presidente da AMMA; e do atual presidente da Associação dos Magistrados, juiz Holídice Barros.

O presidente Paulo Velten afirmou ser entusiasta do projeto Casamentos Comunitários e lembrou do compromisso firmado ao assumir a magistratura, “prometo bem e fielmente desempenhar os deveres do meu cargo, cumprindo e fazendo cumprir a Constituição Federal e as leis da República”. E complementou pontuando os objetivos fundamentais previstos na Carta Magna, em especial o inciso IV do artigo 3º da CF, “promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”, finalizou.

Para o corregedor Froz Sobrinho, o primeiro Casamento Comunitário LGBTQIA+ é um marco na história do Poder Judiciário do Maranhão que abre caminho para realização de outras celebrações com maior número de casais, além de edições regionais. “Nosso grande desafio é combater a discriminação em todas as suas formas e vencer o desafio da desigualdade”, ressaltou.

O juiz Marco Adriano, coordenador do Comitê de Diversidade do TJMA, celebrou a união do primeiro casal inscrito, as noivas Tamires Cavalcante e Ana Beatriz Barroso. O presidente Paulo Velten fez a entrega da certidão de casamento.

A juíza Elaile Silva, coordenadora adjunta do Comitê de Diversidade, uniu o casal especial mais novo, Maria Eduarda e Suellen da Silva. O corregedor Froz Sobrinho entregou a certidão de casamento às nubentes.

O casal Samarony Mota e Domingos Gomes sugeriu ao Judiciário a realização de outras edições desse casamento, como forma de oportunizar o registro gratuito para mais pessoas. “Não imaginava que seria todo esse glamour, me surpreendeu e veio como forma de abrilhantar a nossa união civil”, ressaltou o noivo Samarony Mota.

– Publicidade –

Outros destaques