sábado, 13 de agosto de 2022

Quedas no preço do barril de petróleo e da gasolina sinalizam baixa na inflação de julho

Foto: André Motta de Souza/ Agência Petrobras

Nesta quarta-feira (20), os mercados internacionais fecharam com leve alta, com a valorização do dólar frente as outras moedas globais. No Brasil, o Ibovespa ficou próximo à neutralidade e fechou positivo em 0,04%, aos 98.286 pontos.

O grande destaque foi o anúncio da Petrobrás na redução do preço de gasolina para as distribuidoras. A redução foi de R$ 0,20 centavos por litro, e a expectativa é que o preço médio, no Brasil, fique em torno de R$5,92 nos postos. Lembrando que esse recuo no preço já é uma consequência da queda no preço do barril de petróleo, que no último aumento estava em US$140 e agora gira em torno dos US$100.

A combinação da redução do ICMS dos Estados nos combustíveis, energia elétrica, gás de cozinha, e serviços de telecomunicações e mais essa última redução no preço da gasolina indicam uma projeção negativa da inflação, que é medida pelo IPCA, para os meses de julho e agosto.

Os combustíveis têm um peso importante na leitura da inflação. O mercado estima que a inflação de julho já tenha uma queda de 0,5% em relação ao mês de junho. Um sinal positivo para os setores do agronegócio, indústria, comércio e serviços que dependem muito do transporte público e da logística. Esse recuo na inflação pode reestabelecer o poder de compras dos salários.

E, nesta quinta-feira (21) temos a decisão da taxa de juros do Banco Central Europeu às 9:15 da manhã.

Wagner Matos – economista

– Publicidade –

Outros destaques