segunda-feira, 3 de outubro de 2022

Quem matou Dino Márcio? Polícia identifica suspeito e faz buscas para prendê-lo

Um crime bárbaro e banal gerou grande repercussão na capital maranhense. O corretor de imóveis, Dino Márcio Pinho Rosa Formiga, de 47 anos, foi assassinado a tiros, na noite desta segunda-feira (9), na porta de um Pet Shop, no bairro da Cohama.

De acordo com informações policiais, o principal suspeito do crime seria um homem que trabalhava como segurança/vigilante no estabelecimento, que fica localizado na Avenida Daniel de La Touche, nas proximidades da área conhecida como Bambuzal.

A Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) investiga o caso e já colheu informações que levam ao suspeito, que já foi identificado de ve ser preso nas próximas horas. O delegado Felipe César está à frente das investigações.

O crime

O assassinato aconteceu no início da noite desta segunda, quando Dino Márcio, após fazer compras em um supermercado da região da Cohama, teria ido ao Pet Shop, localizado na Avenida Daniel de La Touche, nas proximidades de uma região chamada de Bambuzal, trocar uma ração para gato, que tinha comprado errado.

Houve uma insatisfação da vítima por conta da troca da ração e um homem que estaria próximo entrou na discussão. Essa pessoa seria segurança/vigilante do estabelecimento. A discussão seguiu acalorada até a porta do Pet Shop, momento em que o gerente da loja tentou intervir para acalmar os ânimos, mas não conseguiu, pois o suspeito sacou a arma e disparou várias vezes, acertando Dino Márcio no tórax e costas.

A vítima foi socorrida e encaminhada a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Vinhais, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Comoção

Dino Márcio era morador da Cohama e muito querido no bairro. Amigos e familiares estão revoltados com a morte precoce dele e cobram justiça.

Após saberem do ocorrido, dezenas de pessoas foram para a UPA do Vinhais confirmar a veracidade do fato.

Dino era apaixonado por esportes e chegou a ser vice-presidente da Federação de Surf do Maranhão. Foi professor de vôlei, educação física, e atualmente era dirigente de uma torcida organizada virtual do Flamengo em São Luís, onde era um dos membros mais ativos.

– Publicidade –

Outros destaques