sábado, 26 de novembro de 2022

Saiba como é o trabalho das mesárias e dos mesários da sua seção eleitoral

Se o Brasil pode se orgulhar por realizar a maior eleição do mundo feita num único dia, é, em grande parte, devido ao trabalho dos quase 1,8 milhão de mesárias e mesários. Em todas as localidades do país, essa multidão de mulheres e homens – dos quais quase a metade são voluntários – dedicam um dia inteiro de trabalho no dia de votação e tempo de treinamento nas semanas que antecedem as eleições para assegurar que as brasileiras e os brasileiros possam escolher representantes e governantes com segurança, ordem e tranquilidade.

Cabe à equipe de mesários, por exemplo, a guarda e a operação dos equipamentos da urna eletrônica no dia da votação. Em seções eleitorais muito remotas, como as localizadas em áreas isoladas da Amazônia profunda ou em outras regiões de difícil acesso, esses colaboradores da Justiça Eleitoral chegam a ficar vários dias envolvidos com essa missão, já que acompanham a urna até esses lugares onde, muitas vezes, só se chega após uma longa viagem de avião, helicóptero ou barco.

Procedimentos

Na seção eleitoral, cabe aos mesários iniciar a urna eletrônica no dia de votação e imprimir a respectiva zerésima, que deverá ser afixada na porta da seção eleitoral. Depois das 17h no fuso-horário de Brasília, também é incumbência dos mesários encerrar o módulo de votação da urna e imprimir as vias do Boletim de Urna que serão afixadas na porta da seção, encaminhadas ao respectivo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e entregues aos representantes dos partidos políticos que a solicitarem.

Por fim, cabe aos mesários entregar as mídias de resultado – onde ficam registrados os votos depositados na respectiva urna eletrônica – aos servidores da Justiça Eleitoral, para que seja feita a transmissão dos votos para a totalização no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Durante o dia de votação, as mesárias e os mesários recebem as eleitoras e os eleitores e organizam a fila de votação. São eles que formalizam a identificação da pessoa que vai votar, verificando o documento oficial com foto, colhendo a assinatura e a biometria para, a partir do terminal do mesário, iniciar o modo de votação na urna eletrônica.

A partir das Eleições 2022, os mesários poderão acompanhar, pelo terminal, em qual etapa do processo de votação está a urna eletrônica em uso. Isso permitirá orientar a eleitora ou o eleitor que se confundiu com a ordem de votação do sistema de coleta de votos.

Neste ano, as mesárias e os mesários terão ainda a incumbência de fazer cumprir a determinação do TSE que reforçou a proibição do porte de celulares ou quaisquer equipamentos de filmagem, gravação ou transmissão na cabine de votação. Eles deverão orientar os vontantes a desligar os equipamentos e deixá-los, junto com o documento de identidade, sob a guarda dos membros da mesa enquanto votam. Caso haja recusa em cumprir esse procedimento, caberá aos mesários não autorizar a votação e, se for preciso, acionar a força policial presente.

Quem pode ser mesário?

Qualquer brasileira ou brasileiro com mais de 18 anos de idade e em situação regular com a Justiça Eleitoral pode ser mesária ou mesário. A cada eleição, um pouco mais da metade do contingente é convocada ao serviço pelo respectivo TRE, e o restante é constituído por pessoas que aderem ao Programa Mesário Voluntário. Os interessados podem buscar mais informações nos sites dos TREs ou com a  Ouvidoria do TSE.

Os mesários recebem treinamentos específicos e orientações de técnicos da Justiça Eleitoral para que estejam preparados para atuar no dia das eleições. O treinamento ocorre de forma presencial e à distância. O aplicativo Mesário disponibiliza informações complementares à capacitação, como manuais e vídeos de treinamento, passo a passo para preparar a seção eleitoral e uma série de perguntas e respostas para orientar a atuação desses colaboradores no dia do pleito.

– Publicidade –

Outros destaques