sábado, 26 de novembro de 2022

São Luís verá o mais longo eclipse lunar do século nesta sexta

A capital maranhense verá nesta sexta-feira (27), o maior eclipse lunar do século. O grande espetáculo vai poder ser visto a partir das 16h30min com sua fase inicial que vai até às 18h13min. O eclipse total começa abaixo do horizonte, por isso é preciso que as pessoas busquem um local onde é possível ver o céu perto do horizonte a leste.

O verdadeiro ponto máximo deste eclipse é às 18h03min e não poderá ser visto em São Luís porque a Lua está abaixo do horizonte.

Após as 18h13min a lua começa a sair da sombra marcando o eclipse parcial que vai até às 19h19min. Todo o espetáculo termina às 20h28min com o fim da fase penumbral.

Infografia: Sociedade Astronômica Brasileira

Já que a lua está perto do horizonte neste momento, é preciso ir a um ponto alto ou encontrar uma área desobstruída com visão livre para leste-sudeste, assim será possível ter uma melhor visão do eclipse.

Um atrativo será a iluminação por um efeito laranja avermelhado na lua, que ganhou o nome de “Lua de Sangue”. A razão das cores é a atmosfera terrestre. “O vermelho depende da quantidade de poluição suspensa na atmosfera, que pode ser partícula de pó lançada por vulcões. Quando atividade vulcânica aumenta, ela fica mais vermelha. Quando isso não acontece, ela continua no tom mais alaranjado”, explica o tecnologista da Agência Espacial Brasileira, Ademir Xavier.

Embora o eclipse tenha uma visibilidade diferenciada dependendo do ponto onde o observador estiver, a lua ficará bem visível a olho nu. Quem quiser conferir com maior nitidez a superfície dela ou o efeito laranja avermelhado pode usar telescópios, lunetas binóculos ou até mesmo câmeras fotográficas equipadas com lentes contendo bons zooms.

Além da lua, no eclipse lunar desta sexta-feira, o planeta Marte também ganhará visibilidade e instrumentos de observação podem contribuir para conferir este e outros planetas, como Vênus, Júpiter e Saturno.

Dicas de como fotografar o eclipse lunar

– Usar um tripé e disparador remoto. A recomendação vale para câmeras ou smartphone

– Evitar movimentos bruscos para que a câmera ou o celular não vibrem

– No caso de câmeras profissionais, usar o ISO corretamente. O ISO mede a sensibilidade do sensor à luz. Quanto maior o ISO, mais sensível ele está e, com isso, amplia a claridade e captação de luz. Quanto menor o ISO, menos informações serão captadas

– No caso de smartphones, que têm sensor pequeno e lente de dimensões reduzidas, é importante um bom enquadramento. A captação de nuvens podem ajudar a compor uma boa foto. “Timelapses” podem render boas e lindas misturas de fotografia e vídeo que captam a mudança de luz.

Fonte: Agência Brasil

 

– Publicidade –

Outros destaques