quinta-feira, 17 de junho de 2021

Fique Ligado no São João na Guará
Sem acordo, rodoviários e empresários se reúnem novamente no TRT

Sem acordo, rodoviários e empresários se reúnem novamente no TRT

Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Na manhã desta segunda-feira (17), foi realizada uma audiência no Tribunal Regional do Trabalho com representantes do sindicato dos rodoviários, do sindicato das empresas de ônibus, da Prefeitura de São Luís e do Ministério Público. A Audiência foi conduzida pelo Desembargador do Trabalho Gerson de Oliveira.

O Presidente do SET, Gilson Neto, durante o encontro, alegou as dificuldades em atender as reivindicações dos trabalhadores e afirmou que isso só seria possível, a partir de uma contrapartida do Município. Canindé Barros, Secretário de Trânsito e Transportes, que estava presente, foi taxativo ao informar que cumpriria todos os itens do contrato que rege as relações entre o poder público e as empresas de ônibus, mas descartou, por enquanto, qualquer hipótese de aumento nas tarifas.

Isaias Castelo Branco, presidente do Sindicato dos Rodoviários, e Valuzia Santos, advogada da entidade, detalharam todos os transtornos que hoje enfrentam os trabalhadores, por conta do impasse no que se refere as negociações da nova Convenção Coletiva de Trabalho. Na oportunidade, os representantes dos trabalhadores foram claros em afirmar, que não abririam mão de diversos direitos, como a concessão integral dos planos de saúde e odontológico e que não permitiriam a extinção da função de contador do sistema.

Negociações

Como forma de garantir que as negociações avançassem, o Desembargador do Trabalho propôs que os patrões oferecessem um reajuste salarial de 6% aos trabalhadores. Depois de analisarem, o SET ofereceu 4% de reajuste, o que não foi aceito pelos Rodoviários.

Quanto a extinção da função de cobrador, a Prefeitura de São Luís, salientou que existe uma lei municipal, que proíbe que a função seja excluída do sistema. Como a mediação chegou a um ponto, onde não houve mais avanços, o desembargador Gerson de Oliveira sugeriu que as discussões fossem interrompidas e fossem retomadas na tarde desta terça-feira (18), a partir das 15h, para que as partes pudessem ter mais tempo para analisar melhor as propostas, o que foi por unanimidade, acatado pelas duas categorias.

– Publicidade –

Outros destaques