segunda-feira, 12 abril, 2021
Início Capa SEMISPE inicia ações para estimular Economia Criativa em São Luís

SEMISPE inicia ações para estimular Economia Criativa em São Luís

Conhecida por sua diversidade, riqueza de ritmos, culinária, artesanato e
belezas paisagísticas, São Luís é também uma cidade de muitos potenciais
econômicos e criativos nas áreas tecnológica, artística, de inovação social
e cultural. Essa vocação criativa da capital maranhense tende a ficar ainda
mais em evidência a partir de agora, com a elaboração do Plano de Economia
Criativa e Desenvolvimento Sustentável para a cidade. Para discutir o
assunto e validar a metodologia que irá orientar a elaboração do documento,
a Secretaria Municipal de Inovação, Sustentabilidade e Projetos Especiais
(SEMISPE) realizou, nesta quinta (28), a primeira de uma série de reuniões
para a construção das ações do projeto.

Participaram da reunião representantes do Instituto de Cidadania
Empresarial, Vale, Sebrae, Instituto Maranhão Sustentável, ONG Formação e
Su Causa, Mi Causa. Posteriormente serão realizados outros encontros com
atores e atrizes sociais do cenário da Economia Criativa. A participação
dessas instituições, organizações e empreendedores sociais é uma forma de
incluir as diferentes esferas da sociedade no processo de elaboração do
plano. Isso resultará em um instrumento que servirá como base para
políticas públicas de fomento à economia criativa, feito não apenas para o
ecossistema criativo de São Luís, como também com a contribuição e
validação de agentes que compõem esse cenário.

“Ao dialogar com esses parceiros, estamos reforçando a coesão e articulação
da atual gestão municipal para construção de uma cidade mais desenvolvida
socioeconomicamente, com a valorização do potencial criativo e cultural do
povo ludovicense”, destaca a secretária municipal de Inovação,
Sustentabilidade e Projetos Especiais, Verônica Pires.

Segundo André Lobão, assessor de desenvolvimento sustentável da SEMISPE, “a
construção do Plano de Economia Criativa e Desenvolvimento Sustentável de
São Luís tem por objeto ser um importante instrumento de políticas públicas
para o desenvolvimento de soluções criativas para São Luís, a partir de
eixos fundamentais que dialoguem com a diversidade e a inclusão social de
áreas prioritárias para a construção de uma São Luís mais humana, criativa
e sustentável”.

Regina Cabral, representante da ONG Formação, falou sobre a importância de
pensar temas como Economia Criativa e Cidades inteligentes de modo que as
ações contemplem oportunidades para toda a população. “Essa atitude da
prefeitura de chamar as organizações para o diálogo é muito assertiva,
tendo em vista que uma cidade precisa ser pensada por muitas cabeças. Nós
da ONG formação estamos à disposição para colaborarmos na transformação de
ideias em oportunidades que melhorem a vida das pessoas socialmente e
economicamente”, afirmou Cabral.

A analista do SEBRAE, Danielle Abreu, avaliou a iniciativa como positiva e
coesa. “Eu considero a proposta muito rica porque começamos a convergir
esforços, iniciativas e otimizar recursos. Ao convidar parceiros e pessoas
que estão engajadas na área de economia criativa e desenvolvimento
sustentável para conversar e trabalhar juntos, a SEMISPE propicia um espaço
extremamente necessário de debate para ações mais concretas”, reforçou a
analista.

Representantes da Vale também estiveram presentes e reforçaram o
compromisso e o interesse em atuar como instituição parceira. “Para nós,
como empresa, é fundamental abrir esse canal de diálogo no início da
gestão. Ficamos satisfeitos com essa predisposição a escuta, construção
coletiva e intersetorial que a gestão do prefeito Eduardo Braide está
propondo, é muito importante que desde o planejamento nós estejamos juntos
compartilhando essa visão de realidade, metas e tendo esforço convergente
para que as ações tragam um impacto positivo e transformação real na nossa
cidade”, pontuou Débora Ferreira, analista da Vale.

Plano de Economia Criativa e Desenvolvimento Sustentável

O plano será construído a partir de reuniões setoriais com diversos atores
e atrizes sociais, governamentais e culturais, a fim de garantir um
processo de participação e controle social, com uma perspectiva de
Governança Participativa.

Esses espaços servirão para traçar metas e objetivos a fim de atender cinco
eixos temáticos, sendo eles: Diversidade e Inclusão Social, Educação e
Saúde, Inovação Tecnológica e Social, Gestão do Conhecimento e Cultura e
Turismo.

- Publicidade -
Categorias relacionadas:
- Publicidade -

Mais recentes

- Publicidade -