sábado, 13 de julho de 2024

Terrorismo, desenvolvimento e agradecimento. Veja o discurso de Roseana

Este não é um discurso de despedida nem um relatório do que fiz e do que não fiz. É uma fala de agradecimento, de manifestação da minha gratidão.

A Deus, que me preservou a graça da vida, apesar de todos os problemas de saúde que enfrentei. À Sua bondade devo a força para lutar e alcançar os êxitos que pude obter, transformando o Maranhão em um estado de grande progresso, e que, mantido o mesmo rumo, em breve estará entre os maiores estados do Brasil.

Agradecimento à classe política, meus correligionários, do PMDB e dos partidos aliados, que me ajudaram a governar. Senadores, deputados federais e estaduais, prefeitos e vereadores, lideranças políticas e comunitárias, a todos o meu reconhecimento pela solidariedade e apoio que recebi.

 

Agradecimento aos membros do Poder Judiciário e do Ministério Público , pelo clima de harmonia, colaboração e independência que mantivemos em nosso relacionamento. A todos os desembargadores, juízes, procuradores e promotores, deixo minha palavra de fé na Justiça e no abnegado trabalho de todos.

Agradecimento a todos os servidores públicos que ajudaram o meu governo a cumprir com trabalho, competência e seriedade, um dos maiores programas de obras e serviços já executados em benefício da população maranhense.

 

Agradecimento aos trabalhadores das cidades e do campo, pela contribuição valiosa que ofereceram, transformando a nossa economia, aumentando a nossa produtividade e transformando o Estado num polo dos mais dinâmicos do país.

Agradecimento ao empresariado maranhense, que nos deu o suporte de sua confiança para investir, abrir novos caminhos de progresso, com novos empreendimentos,
modernização e inovação.

Agradecimento ao povo maranhense, homens e mulheres de minha terra, a quem devo sucessivos mandatos, e o carinho, afeto e bondade com que sempre me trataram, extensão de minha família, parte de minha vida, e que terá sempre meu amor eterno e
minha gratidão perpétua.

 

Senhoras e Senhores, Desde que assumi, em abril de 2009, reeleita em primeiro turno em 2010, tive como principal objetivo melhorar as condições de vida dos maranhenses, especialmente dos mais humildes. Aliamos uma política agressiva de desenvolvimento econômico à preocupação com a distribuição de renda, a formação profissional e o combate à pobreza. E o resultado está aí: nos últimos cinco anos, o Maranhão foi um dos estados que mais se desenvolveram no país e os indicadores sociais só têm melhorado.

Montei uma equipe experiente e com grande poder de realização. Em pouco tempo, o Maranhão voltou a trilhar um novo caminho de crescimento, sustentado na confiança e na credibilidade da ação governamental; no empenho e na formação profissional de mulheres e homens empenhados no trabalho produtivo; e na capacidade de empresários em inovar e competir.

 

Os investimentos privados em novos setores, especialmente nas áreas de energia, petróleo e gás, mineração e siderurgia, florestas e celulose, construção civil e serviços, somados aos investimentos do Governo do Estado em infraestrutura, saúde, educação, ciência e tecnologia, segurança e combate à pobreza, transformaram a vida dos maranhenses. Os ganhos alcançados atestam o êxito de políticas e programas implantados nesse período, tanto pelo meu governo quanto pelo governo da presidente Dilma. Dois milhões e trezentos mil maranhenses saíram da pobreza absoluta; 500 mil jovens se habilitaram em cursos profissionalizantes; e os ganhos foram registrados em todas as regiões do Estado.

 

O Maranhão tem hoje a 16ª economia do País e a 4a do Nordeste, com um PIB de 58,8 bilhões de reais em 2012.

 

Nosso PIB per capita passou de R$ 6.259,00 em 2009 para R$ 8.760,00 em 2012. A participação do estado no PIB nacional cresceu de 1,23% para 1,34% nesse período. Crescemos a uma taxa média de mais de 10% ao ano. As condições para que o Maranhão cresça ainda mais nos próximos anos estão postas.

Não sou mulher de olhar para trás e muito menos de me abater com injustiças e incompreensões. Mas não posso deixar de registrar a campanha insidiosa e inverídica que o Maranhão sofreu nos últimos meses. Fomos vítimas de um terror penitenciário de origem política que manchou a imagem do Estado.

 

As drogas, o crime organizado e o banditismo transformaram a segurança no primeiro problema social do país. Mas a verdade é que devemos ter orgulho da nossa terra, da nossa gente, de tudo que construímos juntos.

Somos um povo ordeiro, um Estado pacífico, de gente educada, que tem em alta conta os valores da cultura. Tenho a felicidade de dizer que durante toda minha vida pública nunca persegui ninguém, nem usei o governo para instrumento de política partidária. Sempre mantive um clima de cordialidade com meus adversários, a quem nunca considerei inimigos. Aprendi que a liberdade e a democracia crescem na divergência e no debate das ideias.

Devo enfatizar outros resultados do meu governo. Realizamos um grande programa de consolidação da agricultura familiar, distribuindo títulos de terra, equipamentos agrícolas e sementes. Para atender ao problema do emprego, investimos em várias frentes: o Programa de Desenvolvimento de Fornecedores, que já movimentou 18,8 bilhões de reais, abriu milhares de oportunidades de ocupação em centenas de empresas; o Meu Primeiro Emprego, estágio remunerado que facilitou o acesso ao trabalho formal para 15 mil jovens; o Maranhão Profissional, que já qualificou mais de 400 mil pessoas em todo o Estado; o Pré- Vestibular, que oferece este ano 25 mil vagas para candidatos a um curso universitário; os cursos profissionalizantes da Univima; o Centro de Empreendedorismo da UFMA; os Centros de Capacitação Tecnológica; e o Polo Tecnológico do Centro Histórico.

 

Entre os grandes projetos em operação merecem destaque a duplicação da refinaria do consórcio Alumar; a hidrelétrica de Estreito; as termelétrica do grupo EBX, hoje pertencentes à ENEVA; a aciaria do grupo Guza Nordeste; o Pier 4 da Vale; a fábrica de celulose da Suzano; a mineração de ouro da Aurizona e a duplicação das fábricas de bebidas da Ambev e da Psiu. Registro, também, a implantação de outros grandes empreendimentos de empresários maranhenses e de diversos estados, radicados em nossa terra, nos setores do agronegócio, alimentos, construção civil, comércio, hotelaria, mineração, serviços e telecomunicações. Cito, como exemplo, os grupos Dimensão, Franere, Canopus, Sá Cavalcanti, Cyrella, Cemar, Oi, Notaro, Votorantim Cimentos, Geranorte e Bioenergy.

 

O complexo portuário do Itaqui recebe investimento de 578 milhões de reais do Consórcio Tegram, com 4 armazéns de 125 mil toneladas. Os portos maranhenses respondem por 14% da movimentação das cargas brasileiras. Fizemos um programa de implantação de parques empresariais, dos quais já foram entregues os de Grajaú, Timon, Imperatriz, Caxias e Balsas, e nove outros estão em estudo. Trabalhamos na infraestrutura das 21 microrregiões maranhenses. Realizamos um importante programa de pavimentação de vias urbanas em todos os municípios do Estado. Construímos mais de mil quilômetros de novas estradas. Todas as cidades maranhenses estarão ligadas por asfalto.

 

O Anel da Soja, por exemplo, com mais de 600 km de extensão, beneficia a região que é a maior produtora de grãos do Estado. Somos o 2o produtor de soja do Nordeste e o 8o do Brasil. Em arroz, o primeiro do Nordeste e o 5o do Brasil. O Maranhão se tornou zona livre de febre aftosa, liberando para exportação o 2o maior rebanho do Nordeste e o 11o do Brasil, com 7,5 milhões de cabeças. Em São Luís, construímos a Via Expressa e a Avenida IV Centenário, que modifica as condições da mobilidade urbana e melhora o trânsito de capital. O espigão da Ponta d’Areia e o Parque da Cidade, no complexo de Itapiracó, criam mais áreas de lazer e pontos turísticos na capital.

 

Ainda em São Luís, o Programa Viva Internet fornece acesso gratuito à rede sem fio, já contando com mais de 51 mil usuários cadastrados e 5,5 milhões de acessos. O PAC – Cidades Históricas irá recuperar 44 prédios públicos, investimento de 130 milhões de reais. Um conjunto de obras no sistema de segurança pública incorpora desde Unidades de Serviços Comunitários, presídio feminino, unidades prisionais modulares em São Luís, Coroatá e Açailândia, abrindo mais 864 novas vagas, reformas em delegacias e aquisição de veículos e equipamentos.

Cumprimos rigorosamente a Lei de Responsabilidade Fiscal e os nossos indicadores são reconhecidos pela Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Fazenda, como um exemplo de gestão responsável. A relação entre Dívida Consolidada Líquida e Receita Consolidada Líquida caiu de 0,91 em 2007 para 0,41 em 2013, muito abaixo do limite permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 2. As despesas com pessoal estão abaixo dos limites fixados.

O Atlas de Desenvolvimento Humano das Regiões Metropolitanas Brasileiras, do PNUD, revelou que a região metropolitana de São Luís está à frente de todas as outras do País em acesso à educação, com um índice de 0,737 — o segundo lugar é da região metropolitana de São Paulo, com 0,723. Iniciamos a oferta de vagas de ensino médio em horário integral. No Ensino Superior, as matrículas passaram de 21 mil em 2009 para 38 mil em 2013, um crescimento de 81%.

Na Saúde, realizamos o maior programa em execução no país. Foram entregues Hospitais de Pequeno Porte, com 20 leitos; UPAS – Unidades de Pronto Atendimento; hospitais de 50 leitos e de 100 leitos. Essas instalações estão distribuídas em todo o estado. Em São Luís, o Hospital de Alta Complexidade Dr. Carlos Macieira foi reformado, ganhando novos leitos de internação e de UTI e novos equipamentos.

Temos um centro especializado para o atendimento de pacientes com câncer, o Hospital do Câncer. São mais 1.130 leitos novos na rede. Os médicos em São Luís passaram de 730 para 948 e no interior do estado de 230 para 707. São mais de 15 mil agentes comunitários de saúde e quase duas mil equipes de saúde da família.

Estamos investindo grande volume de recursos no sistema Italuís, com a construção de novas adutoras e rede de distribuição de água, além de estação de tratamento de esgoto.

Estes números são uma síntese dos resultados obtidos. Sendo exaustivo relacioná-los, é necessário fazê-lo para que se compare o quanto avançamos. O Maranhão é hoje um novo Estado. Onde se passa, uma obra; onde se anda, trabalho e progresso. Basta ver nossa capital, hoje uma cidade moderna, dinâmica, que cresce a cada ia e para a qual o governo do Estado realizou grandes obras, criando novas diretrizes de expansão viária, procurando conciliar a estrutura das duas cidades, a nova e a antiga, olhando o moderno, mas preservando o passado, reconhecida esta pela Unesco, no meu primeiro mandato, como Patrimônio da Humanidade.

Não posso deixar de manifestar minha crença no Maranhão, no seu destino de grandeza, na sua vocação de progresso. Foram muito gratificantes as parcerias que realizamos com todos os setores da sociedade maranhense, baseadas nos princípios de confiança, transparência, trabalho em equipe e focada em metas e programas comuns.

Saio, como já disse, com a certeza do dever cumprido, com a esperança renovada de que trilhamos o bom caminho e construímos um Maranhão mais forte e de muitas oportunidades.

Desejo ao meu sucessor que tenha êxito no seu mandato. Que continue olhando para a nossa gente com o carinho e o respeito que cada maranhense merece.

Estou encaminhando à Assembleia Legislativa a minha carta de renúncia ao cargo de governadora do Maranhão, o que faço por motivos estritamente pessoais, sem qualquer conotação de ordem política ou de qualquer outro interesse.

Tenho imenso orgulho em transmitir o governo ao deputado Arnaldo Melo, que tem uma trajetória que o qualifica como um dos mais competentes políticos em atuação em nosso Estado. Detentor de vários mandatos de deputado estadual, a sua posse como governador do Maranhão é uma homenagem que presto à Assembleia Legislativa, por sua decisiva importância nos êxitos do meu governo.

Aos maranhenses, e aos brasileiros que escolheram o Maranhão para viver e trabalhar, o meu carinho e a minha gratidão.

 

Não digo adeus. Esta é a minha terra. O povo do Maranhão é a minha família. Estarei a seu lado em todos os momentos da minha vida.

E como diz a toada do maestro Nazareth, pai da nossa Marron: “Assim com o dia se despede da noite. Eu me despeço de ti”.

Obrigada. Sorte e felicidades a todos.

– Publicidade –

Outros destaques