terça-feira, 7 de fevereiro de 2023

Tesoureiro renuncia a cargo e inocenta prefeito

“O sr. prefeito não autorizou a emissão de cheque”, diz tesoureiro de prefeitura envolvida em agiotagem.

 

Entre as prisões feitas durante a operação que investiga a agiotagem em prefeituras do Maranhão, uma renúncia de cargo pode ser considerada o fato mais inusitado até o momento.

 

Washington José Oliveira Costa era tesoureiro de São Mateus do Maranhão e nem precisou ser perguntado por nada: renunciou ao cargo no mesmo dia em que um dos agiotas presos apresentou um cheque da prefeitura da qual tinha a “chave do cofre”. No comunicado Washington chega a agradecer a confiança depositada nele, não sem antes deixar bem claro que “o senhor prefeito não autorizou a emissão de cheque a terceiros”. 

Nesta semana, dois prefeitos e um ex-prefeito foram presos após investigação do Grupo de Atuação Especial em Crimes Organizados do Ministério Público e Polícia Civil do Maranhão. As populações de Marajá do Sena e Bacuri viram seus prefeitos serem presos por envolvimento com agiotas. Em Codó o ex-prefeito se apresentou espontaneamente, mas também está preso.

 

As investigações que apuram a agiotagem no Maranhão iniciaram em 2012, depois do assassinato de Décio Sá, jornalista e blogueiro, em um restaurante na orla de São Luís.

 

A Polícia e o Gaeco acreditam que os envolvidos podem ter desviado mais de R$ 100 milhões de cidades que figuram entre as piores do país onde se é possível viver.

 

Veja a seguir a carta de renúncia de Washington:

 

 

 

– Publicidade –

Outros destaques