quarta-feira, 30 de novembro de 2022

Um policial militar é morto a cada seis dias na Grande Ilha

Em um levantamento realizado pelo site da TV Guará, mostra que em apenas um mês, cinco PMs foram assassinados por bandidos, sendo que todos foram mortos a tiros, em situações ainda a serem esclarecidas.

 

Dentro destes últimos 30 dias, um PM foi assassinado a cada seis dias, uma triste estatística contra os combatentes da criminalidade. Com a morte do sargento Prisca, sobe para 18 o número de policiais assassinados este ano na Grande Ilha.

 

Crimes

 

No dia 22 de novembro, um sábado, os policiais Johnny David Chapui Araújo e José Davi Sousa Du Vale foram mortos após reagirem a um assalto.

 

Policiais Militares foram assassinados foram assassinados por três criminosos, na estrada do Porto de Mocajituba, em Paço do Lumiar, na região metropolitana de São Luís. Houve troca de tiros e um dos bandidos, também, morreu.

 

Segundo informações da polícia, os soldados não estavam a serviço no momento do crime e participavam de uma confraternização, quando três criminosos chegaram em um veículo.

 

Um dos bandidos desceu do carro e anunciou o assalto. Do Vale reagiu e matou o bandido. Os outros dois assaltantes que estavam no carro iniciaram uma troca de tiros que matou os policiais.

 

No dia 7 de dezembro, dois militares foram mortos em troca de tiros. O primeiro foi o aspirante Sebastião Luís Rocha Neto, de 26 anos, estava no ponto de ônibus próximo ao Mercado do Peixe, no Aterro do Bacanga.

 

Ele foi surpreendido por um assaltante e, ao trocar tiros com ele, foi atingido. O aspirante, atualmente, estava lotado na cidade de Zé Doca, distante 300 km da capital maranhese.

 

Sebastião e o assaltante ficaram gravemente feridos. Ambos foram encaminhados para atendimento de emergência no Hospital Djalma Marques (Socorrão I), mas não resistiram aos ferimentos e morreram.

  

O segundo caso do dia foi a morte do sargento Carlos Magno Pereira de Sá. O crime aconteceu durante o fim da noite.

 

O Sargento Sá morreu após ser baleado em uma troca de tiros com criminosos na região da Forquilha, em São Luís. O sargento chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Clementino Moura (Socorrão II), mas não resistiu e veio a óbito. Um dos bandidos que trocaram tiros com o PM faleceu no local do fato.

 

Nesta segunda-feira (22), o sargento Prisca foi morto por dois homens em uma moto. Ele foi alvejado por quatro tiros, sendo que dois atingiram a cabeça do militar. O PM morreu no local. Prisca estava na porta de sua residência, localizado no bairro J. Câmara, em São José de Ribamar, quando foi surpreendidos por bandidos. 

– Publicidade –

Outros destaques