domingo, 2 de outubro de 2022

Vídeos: Pacientes relatam negligência, falta de estrutura e presença de ratos e baratas no Socorrão II

Copilado de vídeos obtidos pelo Portal Guará mostra a situação do Socorrão II, em São Luís. Imagem: Divulgação

Pacientes internados no Hospital Municipal Dr. Clementino Moura, o Socorrão II de São Luís, relatam negligência por parte de médicos e enfermeiros, esgoto a céu aberto, presença de insetos e ratos no local e até falta de água nos banheiros. Alguns afirmam, inclusive, que apresentaram quadros de infecção por conta do ambiente hospitalar.

O arquiteto Edson de Lima teve que ficar internado no hospital após passar por uma cirurgia de apêndice e está no local desde o dia 31 de março, quinta-feira. No mesmo dia, foi diagnosticado com meningite, mas só foi avisado na sexta, após a cirurgia, quando já estava em estado grave por conta das plaquetas baixas somadas à infecção.

Tendo que ficar isolado na UTI por conta do diagnóstico, chegou a flagrar baratas no recinto, canos expostos, janelas quebradas, sujeira e calor – pois o ar-condicionado estava quebrado. Dois dias depois, livre de contágio, Edson foi transferido para o leito de enfermaria, na Ala H.

Em vídeos, o paciente mostra o banheiro, cujo teto está com problema de infiltração. Apontando para o chuveiro, conta: “a gente já está há três dias sem esse chuveiro funcionando. Ele tava com vazamento, o rapaz da manutenção veio, fechou o vazamento e fechou o chuveiro. A gente tá sem água, tendo que tomar banho com água da pia, com caneca”.

Em vídeo, o paciente Edson de Lima mostra a falta de estrutura do Socorrão II. Imagens: Divulgação/Edson de Lima

Se direcionando para o quarto, o arquiteto mostra pela janela um amontoado de sacos cheios de lixo hospitalar. “Ele fica aqui, exposto. Chove. Passa rato, barata. Já tivemos vários problemas de barata dentro desse quarto”, relata. Em outra janela do mesmo quarto, Edson aponta para as fossas abertas: “tem um buraco ali, aqui tem outro que tem um cheiro horrível de fossa, que adentra o quarto”.

Pacientes flagram presença de ratos do lado de fora da Ala H do Socorrão II. Vídeo: Divulgação/Ana Paula Branco

Acompanhando o arquiteto, está a namorada, Ana Paula Branco, que se queixou diversas vezes aos funcionários e não obteve soluções – e sim, deboche. “Uma enfermeira que estava aplicando remédio nele [Edson] começou a rir e falar ‘aqui não tem ar-condicionado não, é bom vocês irem se acostumando'”, compartilhou Ana Paula. “Tive que ouvir de muitos funcionários o que se faz com uma barata: o acompanhante vai e mata a barata dentro do quarto de enfermaria. Isso é um absurdo”.

Presença de baratas na ala do Socorrão II. Vídeo: Divulgação/Ana Paula Branco

A jovem Kayllanny Saraiva, de 19 anos, teve que interromper os estudos há dois meses, desde que deu entrada no Socorrão II. “Eu tô com queimadura e aqui tem muito bicho. Barata, rato, aranha, piolho de cobra. Eu falo pras meninas fazerem a limpeza no meu braço e elas só querem tirar a metade do pano. Aí é sangrando”, se queixa a paciente, enquanto levanta o braço para mostrar o lençol ensanguentado. “Dói muito. O quarto fica todo sujo. Uma moça deixou a sacola no chão e amanheceu toda furada de rato”, relata.

Kayllanny mostra a situação de seu braço. Imagem: divulgação

Há 65 dias no hospital, Eza Barreto acompanha a irmã que teve que fazer uma cirurgia no apêndice com urgência. Depois do procedimento, apresentou quadro de infecção: “logo após muita luta com o antibiótico, ela apresenta agora uma nova bactéria, a pseudomonas. Infelizmente, é uma bactéria de contato da região hospitalar. Uma bactéria hospitalar. Estamos reivindicando a melhora da paciente e a remoção dela desse lugar”, conta. “Um espaço que deveria ser para cuidar da saúde está proporcionando doenças. Um descaso”, complementa Edson.

Vídeos

Edson mostra o banheiro e ala em que se encontra. Vídeo: Divulgação/Edson de Lima
Vídeo: Divulgação/Edson de Lima

Posicionamento da Prefeitura

O Portal Guará entrou em contato com a Prefeitura de São Luís e solicitou um posicionamento da diretora do Socorrão II, Manuela Veiga, acerca das denúncias recebidas. Em resposta, a Secretaria Municipal de Saúde destacou a reforma da Ala C do hospital, “deixada pela gestão anterior com sério risco de desabamento”.

A Prefeitura ainda negou os mau-tratos relatados e os casos de infecção ocorridos dentro do local.

Leia:

A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) informa que a gestão do Prefeito Eduardo Braide tem trabalhado a fim de resolver os problemas históricos do Hospital Dr Clementino Moura. Uma das ações desenvolvidas foi a reforma da Ala C, que fora deixada pela gestão anterior com sério risco de desabamento. Outra obra que segue em andamento é a reforma completa do centro cirúrgico que permitirá a realização de mais cirurgias e consequentemente o aumento do giro de leitos. Como reflexo de uma direção efetiva e focada na alta segura dos pacientes , ainda durante a atual gestão, o Socorrão II teve seus corredores completamente esvaziados, o que garantiu o reconhecimento do Ministério da Saúde e do Hospital Sírio Libanês pelos resultados alcançados. Outra ação realizada pela Prefeitura é a entrega regular de materiais e equipamentos novos, como camas, mesas, carros de anestesia, aparelhos de eletrocardiorama, desfibriladores, poltronas, etc. a fim de oferecer aos pacientes mais qualidade, durante os atendimentos.

A Semus nega qualquer mal-trato aos pacientes, assim como os casos de infecção mencionados, e ressalta que, periodicamente, é realizado o recolhimento dos lixos comuns e infectantes.

Atenciosamente,

SECOM | Prefeitura de São Luís

– Publicidade –

Outros destaques