terça-feira, 4 de outubro de 2022

Violência contra mulher: Mais de 200 pessoas foram presas em 30 dias

Uma ação integrada entre a Polícia Civil e Polícia Militar do Maranhão batizada de “Operação Maria da Penha” foi encerrada na última segunda-feira(20), com dados positivos, no que tange o combate à violência contra a mulher em todo o Estado do Maranhão.

A operação que visava coibir e prevenir crimes violentos contra a mulher foi deflagrada entre os dias 20 agosto e 20 de setembro, sendo essa última data, o dia de alusão aos 15 anos da Lei de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica.

Além disso, a operação tinha como intuito o enfrentamento à violência doméstica e familiar, principalmente em sua forma mais grave, o feminicídio, por meio da conjunção e implementação de ações e políticas públicas integradas e articuladas em todo o território nacional.

No Maranhão, a Polícia Civil contou com as participações de todas as Delegacias Especializadas da Mulher do Estado, bem como das demais delegacias do Estado que atendem a cerca de 96 municípios maranhenses. Somente nos dados da Polícia Civil do Maranhão foram contabilizados 206 prisões, sendo 14 por mandados de prisão por descumprimento de Medidas Protetivas de Urgência (MPU); 24 mandados cumpridos por violência doméstica e familiar contra a mulher e 168 prisões em flagrante.

Mais de 950 ocorrências. Dando continuidade aos números, a Polícia Civil do Maranhão instaurou 596 inquéritos por violência doméstica. Além disso, 953 ocorrências foram registradas pelas vítimas e 359 pela Polícia Militar nas delegacias.

A Polícia Militar do Maranhão apresentou a produtividade da Patrulha Maria da Penha durante os 30 dias de ação que resultou em 8 prisões por descumprimento de Medidas Protetivas de Urgência e 40 por violência doméstica. Vale destacar que 2.239 mulheres foram atendidas pela operação.

– Publicidade –

Outros destaques