terça-feira, 21 de maio de 2024

Acusados de homicídios vão a júri em São Luís

A 9ª Vara Criminal de São Luís, especializada no julgamento de crimes contra criança e adolescente, realiza neste mês de outubro júri popular de oito acusados. Entre os réus está o ex-mecânico de bicicletas Francisco das Chagas Rodrigues Brito, já condenado a 385 anos e 6 meses de reclusão por 11 assassinatos de menores, na região metropolitana de São Luís. Os julgamentos ocorrerão no salão de sessões do 4º Tribunal do Júri, localizado no 1º andar do Fórum Desembargador Sarney Costa (Calhau), começando sempre às 9h.

 

As sessões serão presididas pelo juiz titular da 9ª Vara Criminal, José Afonso Bezerra de Lima. Atuarão na acusação os promotores de justiça Antônio Augusto Nepomuceno Lopes e Arnoldo Jorge Castro Ferreira. A defesa dos acusados ficará com o defensor público Rodolpho Penna Lima e os advogados Erivelton Lago, Antônio Lisboa Silva e Sérgio Murilo de Paula Barros.

 

O primeiro a ser levado a júri popular será o cabo da Polícia Militar Carlos César Costa, acusado da morte de uma adolescente de 16 anos. O crime ocorreu na madrugada do dia 1º de agosto de 2011, no bairro Bom Jesus, quando a vítima voltava de uma seresta com o irmão e amigos. Os jovens passavam pela rua quando o acusado saiu da residência com uma arma em punho. Os rapazes correram, mas a adolescente não consegui alcançar o grupo e foi atingida com um tiro nas costas. O julgamento ocorrerá na segunda-feira (13). Carlos César Costa encontra-se preso no presidido do Comando da Policia Militar do Maranhão.

 

O ex-mecânico de bicicletas Francisco das Chagas Rodrigues Brito, será julgado na terça-feira (14), pela morte de uma criança de 13 anos. O crime ocorreu no dia 17 de agosto de 2000, na mata do Povoado de Santana, próximo ao Residencial José Reinaldo Tavares. O acusado, que era conhecido da família, saiu com o garoto para caçar passarinhos e, ao chegar ao local, matou o menor a coronhadas de espingarda, cortou dois dedos da mão esquerda e os órgãos genitais da vítima e escondeu o corpo no matagal. O corpo só foi encontrado um mês depois e na época do desaparecimento, o mecânico chegou a ajudar a família do menor nas buscas.

 

Francisco das Chagas já foi condenado por 11 assassinatos, cujo somatório das penas chega a 385 anos e 6 meses de reclusão. Ele é considerado o maior assassino em série do país e ficou conhecido nacionalmente por cometer crimes contra menores, no caso conhecido como“meninos emasculados”, entre 1991 e 2003. Desde 2004 ele está preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. De acordo com os autos processuais, o mecânico teria assassinado pelo menos 42 meninos, sendo que 30 moravam no Maranhão, na região da Ilha de São Luís, e 12 no Pará.

– Publicidade –

Outros destaques