terça-feira, 6 de dezembro de 2022

Alunos do ensino fundamental fazem simulação de eleição presidencial com candidatos e eleitores

Os alunos formaram as chapas, escolheram seus números e montaram, eles mesmos, suas propostas

A experiência de um país inteiro dentro de uma escola do fundamental. Aqui, na Escola CENAZA, colégio particular de São Luís, os alunos estão há um mês em plena campanha presidencial, uma atividade, que trabalha o exercício da cidadania, trabalhando educação política,  transformando a escola de  escola no país da eleição.

A diretora da escola, Socorro Matos afirma que “baseado na época que estamos vivendo, isso é um despertar, um incentivo e a preparação para a ação cidadã”.

Matos conta que os candidatos são os próprios alunos e eles mesmos prepararam as propostas fizeram a campanha e a propaganda das ideias, sem interferência da direção ou dos professores.

Durante a campanha, os eleitores fizeram até jingle pros seus candidatos. E o projeto continua depois. Segundo a diretora o vencedor vai criar o seu ministério, indicar os ministros.

Tácila, 11 anos, candidata a presidente

Tácila, de 11 anos, é uma das candidatas a presidente e suas principais propostas são implantar o teatro na escola e introduzir um lanche mais saudável, levando em consideração as necessidades especiais de certos alunos. “tem aluno, por exemplo, que tem intolerância a lactose, é preciso pensar neles”, afirma.

Esta sexta-feira (28) foi o grande dia: a votação. A sala é sinalizada como zona eleitoral, e, incluindo os mesários, que recebem os títulos e liberam os eleitores para ir à urna.

O resultado de quem vai governar esse pequeno país sai depois que todo mundo votar. Uma preparação, tanto pros eleitores quanto pros candidatos, de como uma sociedade democrática funciona – e também como cada pessoa é importante na hora de escolher o melhor caminho paro futuro do país.

– Publicidade –

Outros destaques