Caixa Econômica vai chamar 2.500 aprovados em concurso

Por meio de comunicado interno emitido no último dia 17 de janeiro, a Caixa Econômica Federal (CEF) confirmou que deve convocar aprovados remanescentes do último concurso público para a carreira de técnico bancário, realizado em 2014. A informação também foi confirmada recentemente pelo presidente do banco, Pedro Guimarães, em visita à Diretoria de Gestão de Pessoas, em Brasília. De acordo com ele, deverão ser convocados 2.500 novos servidores.

De acordo com o presidente da Federação Nacional das Associações de Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Jair Pedro Ferreira, a retomada das contratações é positiva, mas não resolve.”Os empregados estão cada vez mais sobrecarregados e adoecidos a cada dia. Não adianta chamar 2.500 concursados e forçar a saída de 5 mil, 10 mil trabalhadores com plano de demissão e aposentadoria”, disse “É preciso reforçar o quadro de pessoal”.

De acordo com dados da Federação, em 2014 a instituição fechou o ano com 101 mil funcionários. A direção do banco se comprometeu a contratar mais 2 mil servidores. Porém, ainda segundo a Fenae, desde então 16 mil pessoas deixaram o quadro de pessoal do banco, principalmente por meio de planos de desligamento.

A não convocação dos aprovados no concurso público realizado pela Caixa em 2014 é alvo de Ação Civil Pública ingressada pelo Ministério Público do Trabalho no Distrito Federal e em Tocantins. No dia 6 e outubro de 2016, veio a vitória em primeira instância. Na decisão, a juíza Natália Queiroz, da 6ª Vara do Trabalho de Brasília, postergou a validade do certame até o trânsito em julgado da ação

Limite de Pessoal
Em 9 de janeiro, o governo publicou uma norma em diário oficial que limita em 90 mil o número de funcionários do conglomerado formado pela instituição, incluindo a Caixa Participações e Caixa Seguridade.

Na prática, a determinação não influencia muito no atual quadro, tendo em vista que no terceiro trimestre de 2018, a Caixa publicou balanço apontando um total de 86,4 mil servidores, número menor que no ano anterior, quando, em setembro de 2017, contava com 87,8 mil

Técnico bancário da Caixa
O cargo de técnico bancário, um dos mais procurados do funcionalismo, exige apenas ensino médio, com remuneração de R$ 2.932,32, incluindo salário base de R$ 2.025 e R$ 907,32 de benefícios – isso no concurso Caixa Econômica de 2014.

A grande procura se deve, ainda, aos benefícios oferecidos pela instituição, como possibilidade de evolução salarial ao longo da trajetória profissional, possibilidade de ascensão e desenvolvimento profissional, participação nos lucros e resultados, possibilidade de participação em plano de saúde de previdência complementar, auxílio refeição-alimentação, auxílio cesta-alimentação, possibilidade de participação em programa de elevação da escolaridade e desenvolvimento e programas de preservação da saúde, qualidade de finda e prevenção de acidentes.

Atribuições
Cabe ao técnico bancário da Caixa Econômica prestar atendimento e fornecer informações solicitadas por clientes e público, efetuar atividades administrativas necessárias ao bom andamento do trabalho da unidade, operar computador, terminais e outros equipamentos,instruir e relatar processos administrativos e operacionais, efetuar cálculos diversos referentes às operações, programas e serviços da Caixa, elaborar e redigir correspondências, preparar o movimento diário,manter atualizadas as operações, programas e serviços implantados eletronicamente, dar andamento em processos e documentos tramitados na unidade, realizar trabalho relativo à edição de textos e planilhas eletrônicas, arquivos, pesquisa cadastral, controle de protocolo e demais atividades operacionais e elaborar e preparar mapas, gráficos, relatórios e outros documentos.

Embora o último concurso Caixa Econômica tenha sido apenas para formar cadastro reserva de pessoal, a seleção contou com nada menos do que 1.156.744 inscritos em todo o país. A organizadora foi o Cespe/UnB.

Sobre o último concurso
No edital da Caixa Econômica de 2014, constou que a prova objetiva teve 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Em conhecimentos básicos foram 14 de língua portuguesa, com peso dois, e 36 sobre matemática, raciocínio lógico, atualidades, ética e legislação específica, com peso um. Conhecimentos específicos contou com peso dois. Os candidatos também foram submetidos a uma prova discursiva de conhecimentos específicos, com peso um.