segunda-feira, 30 de janeiro de 2023

Caminhada marca o Dia da Luta Antimanicomial em São Luís

Hoje é celebrado o Dia Mundial da Luta Antimanicomial. Em São Luís, a data foi marcada por uma caminhada pela região central da cidade. A ação da Secretaria Municipal de Saúde (Semus)  também foi educativa e de combate ao isolamento de pessoas com problemas emocionais e psicológicos.

 

Domingos Carvalho tem 58 anos e mora na residência terapêutica do município há sete anos. Ele conta que leva uma vida normal, mesmo depois de 17 anos internado no Hospital Psiquiátrico Nina Rodrigues. “É boa minha vida. Eu faço minhas atividades. Levo uma vida normal”, conta o aposentado Domingos Carvalho.

 

Cartazes e panfletagens foram feitos para conscientizar sobre a inclusão social das pessoas com doenças mentais. Ex-internos, que hoje vivem nas residências terapêuticas do Estado e município, fizeram parte do movimento.

 

A caminhada já acontece há dez anos em São Luís. Segundo Marcelo Costa, diretor do Centro de Apoio Psicossocial Álcool e Drogas (Caps), o maior inimigo da ressocialização ainda é a ignorância. “Ainda precisa de muita divulgação. Precisa que a comunidade entenda que 85% dos casos, sejam eles transtornos mentais decorrentes de doenças mentais ou de transtornos causados por álcool e outras drogas poderiam ser resolvidos na atenção básica, sem necessidade de uma internação, onde o custo é maior”, afirma Marcelo Costa.

 

Na capital maranhense, há 500 pacientes em situação de internação psiquiátrica. Segundo especialistas, o que se pretende é erradicação do problema.

 

“Ser louco é lutar por humanização”.  Este foi o tema da caminhada que aconteceu em todo país e, em São Luís, percorreu as principais ruas do Centro. 

 

Assista a reportagem completa:

 

 

– Publicidade –

Outros destaques