sábado, 24 de fevereiro de 2024

Carnaval sem estresse para os animais de estimação e seus tutores

Os tutores que pretendem incluir os animais de estimação nas festividades de Carnaval devem estar atentos a medidas de precaução para garantir o bem-estar e a segurança dos bichos no período. O professor de Medicina Veterinária do Centro Universitário de Brasília (CEUB) Bruno Alvarenga ressalta a importância de evitar levar os pets para áreas de aglomeração, onde o excesso de barulho e a multidão podem causar estresse e até mesmo traumas nos animais. Lesões auditivas, dificuldades de locomoção e o risco de serem pisoteados são preocupações a serem consideradas.

“Para além do estresse nos animais, os proprietários devem se prevenir de situações que podem levar à fuga dos animais, desentendimentos com pessoas que não os aceitam e dificuldade para recolher os dejetos. Sem contar a possibilidade de terem de interromper suas festividades para buscar atendimento veterinário por conta de alguma intercorrência.” No caso dos gatos, conhecidos por sua rotina rigorosa, o docente do CEUB recomenda mantê-los seguros em casa, uma vez que eventos estressantes podem desestabilizá-los, levando a desordens alimentares e metabólicas que exigem tratamentos prolongados e dispendiosos.

Já entre os cães, Alvarenga frisa que a alternativa mais segura é buscar espaços preparados para receber animais, com ambientes amplos, áreas sombreadas, fontes de água e postos de atendimento veterinário. “É fundamental que os pets sejam dóceis, sociáveis e estejam livres de pulgas, carrapatos e doenças transmissíveis”. O especialista reitera aos tutores a atitude de naturalmente se afastar de indivíduos que porventura estranhem ou se incomodem com a presença de pets, evitando evoluir para uma briga.

Para preservar a saúde dos animais de estimação, Bruno Alvarenga destaca ainda alguns cuidados indispensáveis, como evitar comemorações em momentos muito quentes, não oferecer bebidas alcoólicas aos animais, protegê-los do asfalto quente e fornecer água em abundância. “Se optarem por tingir os pelos dos pets, os tutores devem utilizar tintas próprias para animais, sempre com cuidado para evitar contato com os olhos. Antes de cair na folia, lembre-se de que nossos amigos de quatro patas merecem um Carnaval seguro e confortável”, completa o especialista.

– Publicidade –

Outros destaques