sábado, 13 de abril de 2024

Pai de Brunno Matos contesta confissão de vigilante

O pai de Brunno Matos, morto no Bairro do Olho d’Água após a comemoração pela eleição do senador Roberto Rocha foi contestada hoje. Para Rubem Soares, o vigilante João Nascimento Gomes, somente seria capaz de cometer o crime se fosse um “super-homem”.

 

Entre outros pontos, ele criticou a utilização de um vídeo na suposta conclusão do caso. “Ele é o super homem. Ele consegue assassinar uma pessoa e, ao mesmo tempo, esfaquear outra. Meu filho disse que ele ficou parado olhando o tempo todo. Se ele se aproximou, já foi para tentar separar.”

 

As imagens, continua Rubem, são ruins e não seriam capazes de identificar sequer a marca ou modelo de um carro. “Agoa veja o tamanho de um carro e de uma pessoa”, comparou.

 

A reportagem procurou a delegada-geral, Cristina Meneses, e obteve dela a afirmação de que o vigilante teria confessado o crime a pedido de sua família, que não o queria como foragido. 

– Publicidade –

Outros destaques