terça-feira, 16 de abril de 2024

Cerca de 30% dos táxis não realizaram a verificação de taxímetros, em São Luís

Cerca de 30% da frota de táxis de São Luís não realizaram a verificação metrológica anual de taxímetros junto ao Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial do Maranhão (Inmeq/MA), órgão delegado do Inmetro no Maranhão. O prazo para a verificação periódica encerrou no dia 21 de setembro e quem deixou de fazer, além de pagar multa, pode até perder a autorização para circular.

 

A verificação metrológica dos taxímetros visa assegurar a fiscalização dos valores cobrados ao consumidor pelo serviço de taxi na cidade.São Luís tem uma frota de cerca de 2.100 taxis. Até o mês de setembro, 1.647 veículos fizeram a verificação de taxímetros

 

O procedimento, que é anual e obrigatório por lei, é realizado pelo Inmeq/MA. Basta o taxista comparecer à sede do órgão, no Olho D´Água, conforme relação dos pontos de táxis e de datas. Durante a inspeção, os técnicos verificam, na presença do taxista, se o taxímetro está de acordo com as normas do Inmetro nas bandeiras 1 e 2.

 

“Esse procedimento acontece em uma pista demarcada, onde percorremos 1.050 metros para cada bandeira com velocidade de até 60 km/hora”, explica o técnico metrológico, José Magno de Campos Santos. O metrologista também verifica o lacre, o selo de verificação aplicado no ano anterior e se a circunferência dos pneus (aros) está de acordo com a informação que consta no documento do veículo.

 

Entre as irregularidades comuns encontradas durante as verificações metrológicas, estão diferenças no quilômetro rodado, display queimados e pneus fora do padrão apresentado no documento. “Esses problemas detectados durante o ensaio, são encaminhados para correções em oficinas mecânicas credenciadas pelo Inmetro. Após os ajustes, o taxista retorna ao órgão para refazer a verificação metrológica. Somente depois de sanados os problemas, então o taxímetro recebe o lacre do Inmetro”, afirma o Magno Santos.

 

Taxista há dez anos, Marlon Gomes considera o trabalho de verificação metrológica importante para o profissional e para o passageiro. “Acho essencial essa fiscalização do Inmetro porque aquele consumidor que costuma usar o táxi passa a ter mais confiança e, o profissional, mais credibilidade. Com isso o passageiro tem a certeza de que não está sendo lesado”, diz o taxista.

 

Ao entrar no táxi, o passageiro deve verificar se o taxímetro possui o lacre amarelo e o selo de verificação anual do Inmetro. O taxista deve sempre ligar o aparelho na presença do passageiro. Se o consumidor tiver dúvidas ou verificar que o táxi não possui o selo do Inmetro ou que o lacre está rompido, pode fazer a denúncia, ligando para a Ouvidora do Inmeq/MA: 0800 071 5281.

– Publicidade –

Outros destaques