sábado, 10 de dezembro de 2022

Veja a vida política de Roseana Sarney

Roseana Sarney (PMDB), renunciou ao cargo de governadora do Maranhão aos 61 anos, sendo que 21 destes foram de vida pública. Filha do ex-presidente José Sarney, Roseana foi eleita deputada federal em 1990, iniciando a carreira política.

 

Carreira política

 

Em 1990, candidatou-se à deputada federal pelo Partido da Frente Liberal (PFL), tendo sido eleita. Exerceu o cargo de 15 de março de 1991 a 31 de janeiro de 1994.

 

Em 1994, foi eleita governadora do Maranhão, a segunda mulher a assumir o cargo no país. A primeira foi Iolanda Lima Fleming, que foi governadora do Acre. Na época, a imprensa erroneamente atribuiu que ela fosse a primeira governadora.

 

Em 1998, foi reeleita governadora, a primeira mulher a se reeleger ao cargo. Em 2001, foi indicada como pré-candidata à presidência do país pelo PFL.

 

Sem chance na Presidência, ela se candidatou ao Senado do Brasil pelo Maranhão. Apesar do escândalo e os adversários políticos maranhense usarem o recente escândalo na propaganda política, consegue eleger-se como senadora no Maranhão no mesmo ano, juntamente com Edson Lobão, que em 1º de fevereiro de 2003, assumem os mandatos.

 

Em 1º de fevereiro de 2003, juntamente com Lobão, assumem os mandatos do Senado. Roseana assumiu o lugar de Bello Praga, que havia assumido o cargo após a morte de Alexandre Costa, em 1998.

 

Depois que José Reinaldo Tavares, rompeu com o grupo Sarney em maio de 2004, Roseana foi acusada de usar meios de comunicações da TV Mirante e o jornal O Estado do Maranhão, para atacar o ex-aliado, usando métodos parecidos com a Família Magalhães na Bahia contra prefeitos e vereadores da oposição à oligarquia bahiana.

 

Em 2006, foi candidata pela terceira vez ao governo do Maranhão, mas perdeu para Jackson Lago (PDT). A eleição, ocorrida no dia 29 de outubro daquele ano, foi uma das mais acirradas da história maranhense, e resultou na vitória de Lago por uma diferença pouco maior do que 95 mil votos. Roseana venceu na maioria dos municípios do estado, mas perdeu nos maiores colégios eleitorais: São Luís e Imperatriz. Foi a primeira derrota de Roseana Sarney para o cargo, desta vez como Governadora.

 

Expulsão do PFL em 2006

 

Após a derrota, Roseana foi expulsa do PFL em novembro por fazer, durante as eleições presidenciais de 2006, campanha para o então candidato Lula, que foi reeleito, tendo inclusive participado em 29 de setembro de comício com Lula na cidade de Timon. Como o PFL é um partido de oposição, supunha-se que Roseana deveria ter apoiado o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, que, na campanha na Presidência, apoiou Lago.

 

Para integrar-se à base governista do governo federal, filiou-se ao PMDB, tornando-se uma das líderes do governo Lula no Congresso brasileiro, de 1º fevereiro de 2007 até 17 de abril de 2009. Após a cassação do governador Jackson Lago, assumiu o Governo do Estado e foi substituída no Congresso por Mauro Fecury.

 

De volta, ao governo do Maranhão

 

Na noite do dia 16 de abril de 2009, o Tribunal Superior Eleitoral confirmou a cassação do mandato de Jackson Lago e do vice Luís Porto por abuso de poder econômico e político nas eleições de 2006.

 

Com a cassação, foi ordenada a imediata posse de Roseana Sarney como governadora do Maranhão e de João Alberto de Souza como vice.

 

Eleição 2010

 

Roseana Sarney anunciou a candidatura à reeleição no início de 2010, onde foi eleita em primeiro turno, com o governador eleito, Flávio Dino (PCdoB), ficando em segundo lugar.

– Publicidade –

Outros destaques