quarta-feira, 1 de fevereiro de 2023

Criminosos trocaram drogas apreendidas por areia, isopor e pó de gesso

Nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (7), o Maranhão e outros cinco estados da federação foram alvos de uma megaoperação intitulada de “Operação Efialtes” que tem como base investigações que apuram a violação de lacres e troca de material entorpecente apreendido, constatada durante uma incineração de drogas realizada em abril deste ano, em Cárceres, no Mato Grosso. A Polícia Civil do Maranhão, em apoio da Polícia Civil do Mato Grosso cumpriram mandados de busca e apreensão e de prisão.

As investigações iniciaram há, aproximadamente, 8 meses, após a Corregedoria-Geral da Polícia Civil do Mato Grosso receber a notificação de que durante a incineração de drogas realizada no dia 19 de abril deste ano, foram identificadas violações nos lacres das embalagens de perícia dos entorpecentes apreendidos. Segundo as investigações, em alguns dos envelopes os criminosos substituíram parte do entorpecentes por areia, isopor e pó de gesso.

A operação visa cumprir 39 mandados de prisão preventivas e 59 mandados de busca e apreensão nos estados do Maranhão, Mato Grosso, Rondônia, Piauí, Tocantins e Goiás. A justiça também determinou 4 ordens de suspensão de atividades econômicas de empresas utilizadas para realizar lavagem de dinheiro; o bloqueio de um montante de R$ 25 milhões; sequestro de alguns bens, como veículos e imóveis e bloqueio das contras bancarias dos investigados.

No Maranhão, policiais civis saíram as ruas da capital maranhense, São Luís, no intuito de cumprir 5 mandados de prisão contra pessoas investigadas por terem ligação com o bando criminoso.
Como resultado, foram cumpridos 4 mandados de prisão preventiva, sendo dois destes, contra presidiários do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Além disso, os policiais ainda conseguiram apreender quantidades expressivas em dinheiro, aparelhos de celular e materiais de contabilidade do esquema de tráfico de drogas.

– Publicidade –

Outros destaques