sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

Auxílio Combustível Governo do Maranhão

PT e o Defeso : Deixem o Camarão em paz!

Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Ostra! Ostra!
Saíram na briga no fundo do mar
Então, o camarão se mandou
O camarão ó: já era!*

Faltou avisar ao povo da política que a pesca do camarão está proibida desde o dia primeiro de janeiro, ou será justo por isso que o Camarão Alfa saiu do ringue? Mas vamos às possibilidades estéticas- sociológicas-marqueteiras.
Tivemos no Brasil um grupo chamado Originais do Samba, do qual fazia parte nosso inesquecível Mussum (o Trapalhão). Eu era criança, mas adorava uma canção chamada “Tragédia no fundo do mar” hit de 1974, que contava a história de um crime bárbaro: “assassinaram o camarão”!
Agora, já um cidadão insular, e convivendo com essa fauna de crustáceos tão extensa, não há como não lembrar que o mar, o mesmo que levou Gonçalves Dias, nos traz o “pão” de cada dia. Saudades imensas da primeira vez que professora Claudett me levou pra experimentar uma tarioba na velha base do Chico Noca, quando ainda ficava entre as rendeiras da Raposa.
Sem dúvidas, para nós ludovicenses (eu, um adotado!), nada mais nobre, digno e saboroso do que uma bela camaroada, um camarão frito no alho e óleo, ou mesmo um camarão seco catado escondido em algum cofo na feira da Praia Grande (saudades da cacharia de Seu Riba). O fato é que pra maranhanguara não tem lagosta nem escargô… nossa especiaria mais nobre é o camarão.
Nada mais justo e adequado proteger nossa mais deliciosa e nobre especiaria colocando um defeso no seu período de reprodução (janeiro a maio).
Fora isso, faltou (ou sobrou?!) proteção para o Camarão, o Felipe, mui digno secretário de estado da educação e, até ainda agora, pré-candidato a governador do Maranhão. Há algumas horas, o titular da pastada da educação mirou seu partido com uma missiva de desistência da disputa do pleito 2022 concorrendo à chefia dos Leões.
Surpresa? Nenhuma! Afinal Camarão chegou ao PT com o claro objetivo de ser candidato a deputado federal. As “circunstâncias” levaram à pré-candidatura; e foi uma bela empreitada; cumpriu um papel importante; motivou a militância; esquentou a orelha de alguns (como candidato a deputado federal esquenta a orelha de outros); e, ao fim do desfile, na dispersão, já surge um grito de “já ganhou”, ou um eco de; e eco, a gente nunca sabe de onde vem.
Favas contadas! Com ou sem defeso, Felipe Camarão é um sério candidato a uma das 18 vagas da bancada federal maranhense. Facilita ou dificulta a vida do(s) colega(s) da nominata? E, apesar de ser novo na legenda, um dos nomes mais fortes na conquista de votos na história do Partido dos Trabalhadores no Maranhão. Será essa uma mudança de atitude e estratégia do PT? Uma ocasião?
Vejamos (não há cenas de próximos capítulos) que bafejos empurrarão as velas dessa esquadra. Ciumeira já teve; foi amainada; críticas, é natural haver; apoio da militância, houve à governador, haverá a deputado?
Voltando aos velhos Originais do Samba, que encerram seu belo samba assim:
Malandro foi o peixe galo
Bateu asas e voou
Até hoje eu não sei
Como a briga terminou*
Resta-nos saber quem seria o peixe-galo, porque como essa “briga” termina, só saberemos do decorrer dos meses; ou nem saberemos!.
Por enquanto podemos, por exemplo, já que o grosso do samba virou uma balela mela-cueca, esquecer a música e buscar o Bob Esponja (que não tem defeso). No Tabuleiro: Lula Molusco (e haja lulas!). Siriguejos (muitos!) e… quem seria o Patrick?

  • Tragédia no fundo do mar – Originais do Samba 1974
– Publicidade –

Outras publicações