sábado, 24 de fevereiro de 2024

Descumprimento de oferta é a principal reclamação da Black Friday registrada pelo Procon/MA

Produtos que não foram entregues por falta de estoque ou compras cancelas por problemas no envio. Essas e outras situações, caracterizadas como descumprimento de oferta, foram a principal queixa dos consumidores maranhenses relacionadas às promoções da Black Friday.

A informação é do Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Maranhão (Procon/MA) que, durante todo o mês de novembro, promoveu a orientação de consumidores, realizou ações de fiscalização e registrou as reclamações dos consumidores. “Como em anos anteriores, realizamos um trabalho preventivo de orientação ao consumidor e estivemos atentos fiscalizando estabelecimentos na semana da ação do Black Friday. Nesse período, 47 estabelecimentos foram verificados. Além disso, registramos 25 reclamações até agora relacionadas à Black Friday, das quais 64% são de situações caracterizadas como descumprimento de oferta”, comentou a presidente do órgão, Karen Barros. 

Irregularidades

Nas fiscalizações, diversos segmentos como lojas de eletrônicos, eletrodomésticos, roupas, acessórios e celulares foram averiguados. Desses, cinco foram autuados por irregularidades na prestação do serviço. Entre as falhas encontradas pelos fiscais estiveram os produtos sem precificação, ausência de disponibilidade do Código de Defesa do Consumidor, falhas na execução da garantia de produtos, entre outros. 

Já entre as reclamações registradas ao órgão, 25 até o momento, 64% são relacionadas ao descumprimento de oferta. Houve ainda registros de falha na prestação do serviço (16%), vícios de informação (12%) e propaganda enganosa (8%). 

“Sabemos que alguns estabelecimentos continuam oferecendo a promoção e que muitos consumidores ainda aguardam suas entregas, então o Procon/MA está de prontidão para atender caso algum consumidor ainda enfrente problemas referentes à Black Friday”, completou Karen. 

O órgão orienta que consumidores que se sintam prejudicados formalizem suas reclamações por meio do site procon.ma.gov.br, aplicativo VIVA PROCON ou presencialmente em uma das unidades do Instituto.

– Publicidade –

Outros destaques