sexta-feira, 27 de janeiro de 2023

Encerrada Semana de Combate às Hepatites

A I Semana Estadual de Combate às Hepatites Virais foi encerrada nesse domingo (24) com uma caminhada realizada na Avenida Litorânea. Durante a caminhada, cerca de 100 profissionais da saúde estiveram presentes distribuindo kits com panfletos e preservativos para motoristas e transeuntes.

 

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Marcos Pacheco, é importante que temas altamente relevantes para a saúde pública tenham datas marcadas no calendário como forma de chamar a atenção para o evento e seu tema. “Neste caso a temática é tão significativa que se achou por bem designar uma semana inteira de ações. Precisamos alertar e conscientizar a população da importância da vacinação e do diagnóstico precoce das Hepatites”, explicou Pacheco.

 

As Hepatites são doenças que atacam o fígado, causadas por vírus que podem passar de uma pessoa para outra e nem sempre apresentam sintomas, fazendo com o que o portador leve anos para perceber que está doente. O diagnóstico e o tratamento precoces podem evitar a evolução da doença para cirrose ou câncer de fígado, por exemplo.

 

“Nosso objetivo durante a semana foi sensibilizar a população sobre a importância do controle da doença no Estado. Ao contrário do que algumas pessoas pensam, que só se tem Hepatite quando se apresenta a amarelidão, hoje sabemos que a doença tem o curso assintomático, e quando surgem os sintomas, o comprometimento do organismo já está em um alto nível”, pontua Ana Carla Guimarães, Coordenadora do Programa Estadual de Controle das Hepatites Virais.

 

No Estado do Maranhão já são oferecidos treinamentos, capacitações e testagem rápida, primeiro passo na busca do diagnóstico das Hepatites B e C. Quanto às medidas de prevenção e controle, intervenções básicas são adotadas. No caso da Hepatite A, medidas de saneamento básico e cuidados no trato da água e dos alimentos devem ser adotados. Para prevenção das hepatites B e C, consideradas doenças sexualmente transmissíveis (DST’s), estão inclusos o uso do preservativo e o não compartilhamento de materiais perfurocortantes.

 

A vacina contra a hepatite está disponível nas unidades de saúde. “Quem tem de 0 a 49 anos pode tomar a vacina. E é importante ressaltar que é preciso atualização das três doses para garantir a imunidade”, conclui Ana Carla Guimarães.

 

– Publicidade –

Outros destaques