sexta-feira, 27 de janeiro de 2023

Endividamento alcança o menor patamar desde fevereiro de 2020

O nível de endividados em São Luís caiu pelo segundo mês consecutivo após
apresentar recuo de -1,9% na passagem mensal. O resultado de dezembro da
Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada
pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Maranhão
(Fecomércio-MA), aponta que o patamar das famílias da capital nesta condição
é de 72,8%. Em termos absolutos, este índice representa um total de 226.889
mil famílias ludovicenses, uma redução de 4.308 delas em relação a novembro.

Apesar de o percentual ser considerado elevado, o nível de endividados em
São Luís está abaixo da média das demais capitais brasileiras, cujo
percentual de novembro foi de 78,9%, conforme o último dado apurado pela
Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Em
conjunto com a redução do endividamento em São Luís, houve também um
encolhimento do número de famílias inadimplentes, na ordem de 2,3%. Isto fez
o índice descer de 34,6% em novembro para 33,8% em dezembro, o equivalente a
2.402 famílias a menos possuindo contas em atraso.

Diferentemente do cenário apresentado em meses anteriores de 2022, a redução
do endividamento em dezembro é seguida da melhora na Intenção de Consumo das
Famílias (ICF). Este panorama indica uma possível qualificação no consumo
doméstico, uma vez que as famílias têm preferido pagar suas compras à vista,
fator que também pode estar atrelado à ampliação na disponibilidade de renda
durante o fim do ano.

“Alguns fatores podem explicitar este bom cenário apresentado na Peic, como
o aumento da renda familiar mensal em dezembro por conta do pagamento do 13°
e da geração de emprego decorrente das contratações temporárias de fim de
ano” explica o presidente da Fecomércio-MA, Maurício Feijó.

Esta reorganização orçamentária do consumidor que conseguiu reduzir o seu
nível de dívidas e contas em atraso sem reprimir o consumo permitiu que o
patamar de endividamento de dezembro fosse o menor desde fevereiro de 2020,
sinalizando que o nível de comprometimento das famílias com dívidas tem se
aproximado cada vez mais daquele pré-pandemia.

Uso do crédito

O cartão de crédito, que segue como o principal tipo de dívida das famílias,
encerrou dezembro com uma queda de -2,1%, sendo apontada por 64,5% dos
consumidores ludovicenses.

Em conjunto com a redução no uso do cartão de crédito está a tomada do
crédito pessoal, que caiu -1,9% em dezembro, sendo apontada por 5,3% dos
consumidores. “Com a melhora nas condições de renda, as famílias em São Luís
têm buscado equilibrar seu orçamento, sanando as dívidas pré-existentes e
evitando contrair novas contas neste momento”, completa Feijó.

Neste sentido, o índice da Peic não apresentou maior redução em dezembro em
detrimento de outras dívidas que passaram a pesar no orçamento familiar, a
exemplo do cheque especial. No mês de dezembro, este tipo de dívida cresceu
+5,2% na passagem mensal, com 6,1% dos entrevistados apontando esta
modalidade como uma das principais. Isto se deve ao uso emergencial do
cheque especial em algumas ocasiões, nas quais os consumidores dão
prioridade ao pagamento utilizando este recurso em detrimento do uso do
cartão de crédito.

O parcelamento dos bens de maior valor agregado como o financiamento de
casas também passa a apresentar maior peso no orçamento familiar,
responsável pela fatia de 4,7% do total das dívidas apresentadas pelas
famílias na Peic de dezembro.

– Publicidade –

Outros destaques