sexta-feira, 9 de dezembro de 2022

Ex-deputado Roberto Jefferson reage a prisão e dois policiais federais são atingidos

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Uma primeira tentativa de cumprir um mandado de prisão contra o ex-deputado Roberto Jefferson, resultou em dois policiais federais ferido no interior do Rio de Janeiro. Depois do primeiro conflito entre policiais e Jefferson, a PF  enviou reforços e  prendeu o ex-deputado.

O mandado de prisão foi determinado pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, presidente do Tribunal Superior eleitoral. O pedido foi feito após Jefferson ter descumprido restrição da prisão domiciliar, e ter utilizado as redes sociais para  ofender a ministra do STF Cármen Lúcia.

As vítimas de Roberto Jefferson são o delegado Marcelo Vilella, que teria sido atingido na cabeça e na perna e uma agente identificada por Karina, quer foi ferida na cabeça por estilhaços de uma granada supostamente arremessada pelo ex-deputado.

Em vídeos gravados dentro de sua casa, Jefferson mostra, por meio da câmera de segurança, a chegada dos policiais e diz que vai “enfrentá-los”. Em um segundo vídeo, o político exibe a viatura da PF com o para-brisa baleado e diz que houve troca de tiros.

Fora de sua casa, Jefferson filmou outro vídeo em que afirma que “não atirou em ninguém para pegar”. “Atirei no carro e perto deles”, disse ele, acrescentando que não iria se entregar.

Por meio das redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro informou que determinou a ida do Ministro da Justiça, Anderson Torres, ao Rio de Janeiro, para acompanhar o andamento do que considerou um lamentável episódio.

“Repudio as falas do Sr. Roberto Jefferson contra a ministra Carmen Lúcia e sua ação armada contra agentes da PF, bem como a existência de inquéritos sem nenhum respaldo na Constituição e sem a atuação do MP”, disse Bolsonaro.

– Publicidade –

Outros destaques