quarta-feira, 10 de agosto de 2022

Lahésio Bonfim e partidários com pré-candidaturas ameaçadas no PSC

As pré-candidaturas, ao que parece, começam a justiçar o prefixo estipulado pelas leis brasileiras. Sim, “pré” não quer dizer que será efetivada a candidatura. Pior, quando acontece num momento que não se pode mais voltar atrás, nem ir em frente sem se enquadrar aos mandos e desmandos dos dirigentes partidários. O último ameaçado pelas possibilidades é o candidato sub-fenômeno das pesquisas, Lahésio Bonfim.

Ocorre que nos últimos dias, Lahésio, que não tem papas na língua, nem em lugar algum, andou proferindo teorias e apoios que deixaram desconfortável a situação da pré-candidatura junto à direção do partido, PSC, presidido, no Maranhão, pelo deputado federal Aluisio Mendes. Lahésio resiste, por exemplo, no apoio a reeleição do senador Roberto Rocha (PTB), defendido por Aluisio.

Através das redes sociais, o presidente do PSC mandou um recado ao pré-candidato Lahésio Bonfim (e seus seguidores). Primeiro afirmou que na manhã desta quarta-feira (13) tomou café da manhã com o deputado federal Edilázio Júnior (PSD) e o Senador Roberto Rocha, onde discutiram “assuntos de interesse do nosso Maranhão”.

Mas o recado começou a endurecer quando Aluisio escreveu “Como presidente do PSC Estadual, não só em nome da minha pessoa, mas de todos os filiados do PSC, reafirmo apoio integral a pré-candidatura à reeleição do nosso Senador Roberto Rocha…”. E, sistemático como um boxeador experiente, arrematou: “E aqueles filiados do PSC que não se sentirem confortáveis com a decisão da executiva estadual, estão liberados para procurar outro partido”.

Parece que, depois disso, quem ainda quiser disputar algo pelo partido se enquadra, ou desiste, uma vez que não há mais tempo legal para mudanças de legenda, incluindo aí o Pastor Bel, pré-candidato ao senado pelo partido, que tem desfilado com Lahésio pelo interior do estado.

– Publicidade –

Outras publicações