quinta-feira, 29 de setembro de 2022

Mais de 38% dos cachorros testados no Mais Saúde animal no Coroadinho foram diagnosticados com calazar

Durante o Mais Saúde Animal, realizado no Coroadinho, mais de 38% dos cachorros testados foram diagnosticados com Leishmaniose Visceral Canina (calazar). A terceira edição do programa do Governo do Estado aconteceu no sábado (21), quando foram realizados 1.123 atendimentos. Dos 131 testes rápidos para calazar, 80 deram resultado negativo e 51 positivo. Os que apresentaram resultado negativo receberam coleiras de proteção contra o mosquito transmissor da doença.

A ação aconteceu no Centro de Ensino Dorilene Silva Castro e promoveu consultas e vacinação de cães e gatos. Assim que chegavam ao local, tutores e pets eram recepcionados pelos colaboradores do Mais Saúde Animal, que faziam direcionamento para a consulta previamente agendada, testagem ou vacinação. “Quando falamos no conceito de saúde única, estamos nos referindo à saúde do homem, do animal e do meio ambiente. Neste sentido, o programa atua como frente de controle da Raiva e Calazar, zoonoses que podem ser transmitidas para o ser humano, mas que também podem ser evitadas, desde que o tutor leve o seu pet para ser vacinado, prevenindo que tanto ele como seu animal de estimação fique doentes”, disse a chefe do Departamento de Controle de Zoonoses do Estado, Zulmira Batista.

Cerca de 40 profissionais, entre médicos veterinários e acadêmicos de medicina animal, participaram da ação. Para Thainara Pinheiro, tutora da Megue, de um ano, foi uma boa oportunidade para quem não tem condições de custear atendimento em uma clínica veterinária. “Com o animal vacinado, não existe risco de passar doença para alguém. Além disso, eles poderão viver mais tempo e a gente fica mais tranquilo sabendo que nossos animais estão saudáveis”, comentou.

Acompanhada dos filhos, dona Sâmia Santos levou os dois cães, o Spek John e a Nissa. “É uma iniciativa muito boa, pois além do calazar trazer danos ao animal, ele também pode acometer o homem. Então, a prevenção sempre será a melhor opção tanto para nós como para eles”, afirmou.

Lançado em 2017 pelo Governo do Estado, o Programa Mais Saúde Animal foi retomado no mês de julho deste ano. Nas outras duas edições realizadas, a iniciativa garantiu 2.613 atendimentos a pets da capital, atendendo cães e gatos dos bairros do Anjo da Guarda, Cidade Olímpica e suas adjacências, fortalecendo nas regiões o combate à Leishmaniose e à Raiva, zoonoses endêmicas no Maranhão.

– Publicidade –

Outros destaques