domingo, 4 de dezembro de 2022

Maranhense ganha medalha de ouro na Olimpíada do Conhecimento

Ao todo, Maranhão conquistou três medalhas, três certificados de excelência e dois bronzes no Inova Senai

 A aluna do Serviço Nacional de Aprendizagem Indústria (Senai) Maranhão, Katianne Piedade Melo, é a primeira maranhense a ganhar uma medalha de ouro na Olimpíada do Conhecimento. Ela tem Síndrome de Down e venceu o maior torneio de educação profissional da América Latina na categoria Panificação para Pessoa com Deficiência, no último domingo, 7, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Esse é o maior resultado do Maranhão na história da competição, pois além da medalha na Panificação, a delegação maranhense ainda está levando para o estado mais duas medalhas: prata, na ocupação Serviço de Restaurante; e bronze, na ocupação Cozinha, conquistadas pelas alunas do Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac) Maranhão,Karine de Melo Silva e Thaynara Rosa Pereira Gaspar.

Mas as premiações do Maranhão não pararam poraí. Os alunos do Senai Dailson Aires, Jefferson dos Santos Protázio e o deficiente visual José Mauricio Santos conquistaram três Certificados de Excelência pelo desempenho nas ocupações Aplicação de Revestimentos Cerâmicos, Construção em Alvenaria e Tecnologia da Informação (PcD),respectivamente; isso tudo somado aos dois bronzes ganhos na mostra Inova Senai pelos projetos inovadores desenvolvidos por alunos e instrutores da entidade.

Com o resultado, o Maranhão ficou em 7º lugar do Brasil no ranking de medalhas por delegação e conquistou o 9º lugar do país na média de pontos na competição.
Ouro – A timidez de Katianne Piedade Melo não impediu que ela se destacasse nas aulas de Panificação ministradas no centro de educação profissional do Senai na cidade de São Luís, no bairro do Tibiri. Seu instrutor, Marcos Cruz, logo percebeu o potencial que se escondia por detrás de todo aquele embaraço e indicou Katianne para a Olimpíada do Conhecimento.

Ao perguntada sobre o que seus pães e bolostinham de especial, a competidora não hesitou e respondeu: “Paixão”. Ao recebera medalha de ouro em Belo Horizonte, Katianne confirmou que “só queria mesmo se fosse o ouro” e dedicou o prêmio à família.

A aluna é segunda competidora com Síndrome de Down do Senai Maranhão a ganhar medalha na Olimpíada do Conhecimento. Em 2012,quando foram inclusas ocupações pra PcD no evento, Marina de Pádua, então alunada entidade, foi medalha de bronze na mesma ocupação. Ela, inclusive, esteve por diversas vezes no treinamento com Katianne, contribuindo para a conquistado primeiro ouro do Maranhão no torneio.

Katianne ainda subiu mais uma vez ao palco daArena Vivo, onde aconteceu o encerramento da Olimpíada. Da segunda vez, para receber a medalha de melhor competidora da delegação do Maranhão.

Para diretor regional do Senai-MA, Marco Moura,Senai e Senac e todo o Sistema S, juntos, estão trabalhando com o objetivo de contribuir para a melhoria dos indicadores econômicos e educacionais do Maranhão. “Senai e Senac estão de parabéns. Mais do que as medalhas, na verdade, nós temos a certeza de que estamos no caminho certo, melhorando e evoluindo a educação profissional do nosso estado e esperamos contribuir cada vez mais para fazermos um país e um Maranhão melhor para todos nós”, ressaltou.

Já a coordenadora do Senac-MA, Claudinete Silva, muito emocionada com as medalhas conquistadas pelas alunas do Senac-MA,disse que desde o início estava na expectativa de que tudo iria dar certo.

“O resultado veio, com a prata e o bronze, com muito treinamento e muito crescimento para o Senac e a gente está aqui, comesse resultado brilhante dos dois avaliadores e dos professores que muito contribuíram para essa conquista”, destacou.

Inovação – No último sábado, dois projetos do Senai Maranhão também foram premiados na mostra nacional Inova Senai, evento paralelo à Olimpíada do Conhecimento, que reúne trabalhos inovadores desenvolvidos por alunos e instrutores de todo o Brasil, muitos já prontos para entrar para o mercado.
Um deles foi a Ecoplaca Placas Ecológicas, uma placa ecológica feita de sacos de cimento e copos plásticos descartáveis, que pode ser utilizada tanto na construção civil como na movelaria, que conquistou o terceiro lugar na mostra, na categoria Tecnologia Industrial – Produto.

O segundo projeto premiado foi o da Maquete de Alto Forno: Ferramenta de Auxílio no Processo Ensino-Aprendizagem, que arrebatou o 3º lugar na categoria Tecnologia Educacional. A maquete tem a proposta de auxiliar as aulas práticas dos cursos técnicos de metalurgia. A maior vantagem do produto é dar aos alunos uma noção real de como funciona o equipamento alto forno, facilitando o processo de ensino-aprendizagem dessa área tão importante para a indústria siderúrgica.
Os dois projetos são do Senai de Açailândia.

– Publicidade –

Outros destaques