quarta-feira, 1 de fevereiro de 2023

Mulheres saídas da prisão participam de curso de costura

A 2ª Vara da Comarca de Itapecuru-Mirim, em parceria com a Secretária Municipal de Assistência Social, promove um curso de corte e costura “Costurando com Arte”, no atelier do “Escritório Social” da cidade de Itapecuru, para 15 mulheres em processo de reintegração social da cidade.

As alunas do curso são familiares ou mulheres saídas do sistema prisional assistidas pelo movimento RestART- “Recomeçando com Arte”, uma das ações resultantes do Projeto “Teia de Responsabilidade”, implementado por meio de parceria institucional, pela 2ª Vara de Itapecuru-Mirim.

O foco do movimento é unir a necessidade de preservação do planeta e, ao mesmo tempo, contribuir para a ressocialização de pessoas privadas de liberdade e seus familiares, com o oferecimento de capacitação para que elas possam exercer um ofício que proporcione trabalho e renda.

ESCRITÓRIO SOCIAL

As aulas funcionam em malharia do Escritório Social de Itapecuru-Mirim, espaço público de gestão compartilhada do Projeto “Justiça Presente”, com apoio do Ministério Público, Defensoria Pública e Conselho Nacional de Justiça, que tem como objetivo a oferta dos serviços especializados, por meio do acolhimento de pessoas egressas do sistema prisional e seus familiares.

Ao final do curso, as mulheres beneficiadas poderão utilizar as instalações do escritório social para trabalhar em outros serviços, que possam contribuir para o seu sustento pessoal e familiar.

PRODUÇÃO DE SACOLAS ECOLÓGICAS

A juíza Mirella Cézar, titular da 2ª Vara de Itapecuru-Mirim, informou que a meta é produzir cerca de mil sacolas ecológicas, que contribuirão para diminuir o número de sacolas plásticas em circulação na cidade de Itapecuru, que degradam o meio ambiente.

As primeiras sacolas foram produzidas utilizando recursos financeiros obtidos com a prestação de penas pecuniárias e foram distribuídas ao projeto “Justiça de Proximidade”, do Tribunal de Justiça do Maranhão. Recentemente, o curso recebeu doações da loja “Abreu Tecidos” e da Academia de Natação “Água Viva”, de amostras de tecido e peças que serão utilizadas na prática do curso de corte e costura.  

RESSOCIALIZAÇÃO DE PESSOAS PRIVADAS DE LIBERDADE

Essa iniciativa une a necessidade de preservação do ecossistema, solidariedade, ressocialização de pessoas privadas de liberdade e oportunidade de capacitação e renda para as famílias das apenados.  

“É uma excelente oportunidade de unir a necessidade de preservação do planeta e contribuir para a ressocialização de pessoas privadas de liberdade e seus familiares”, diz a juíza Mirella Cézar, titular da 2ª Vara de Itapecuru-Mirim, coordenadora do projeto pelo Poder Judiciário.

O projeto recebe doações de tecidos, retalhos ou amostras da comunidade. As doações podem ser feitas na sede do Escritório Social (Rua Urbano Santos, s/nº. Centro) ou no Fórum de Itapecuru-Mirim (Rua Basílio Simão, s/nº. Centro).


– Publicidade –

Outros destaques