sexta-feira, 12 de abril de 2024

Navio encalhado no litoral de São Luís pode reflutuar apenas no mês de março

Depois do fracasso de várias tentativas para a reflutuação do Navio Forte São Felipe, de Manaus-AM, que encalhou na estrada do canal de acesso ao terminal de uso privado da Alumar, no litoral de São Luís, especialistas revelam que uma boa chance para se conseguir a reflutuação, seria uma ação casada, que incluiria uma descarga e, aguarda uma maré mais alta de 6,7, por exemplo, só deve acontecer nos dias 11 e 12 de março.

Nas ações foram usados até seis rebocadores que se mostraram insuficientes para “empurrar” a embarcação para águas mais profundas da que ele se encontra atualmente.

Passados 4 dias do encalhe, é certo, o problema só se agrava e novas tentativas, e a próxima pode ser só em março.

Como aconteceu

Na tarde de sábado (17), o navio Forte São Felipe, em plena operação de descarga com 58 mil toneladas de bauxita no terminal privado da Alumar, é oficialmente orientado pela administração do porto que a operação seria interrompida. Motivo: uma pane em um dos guindastes do cais.

Seria necessária uma operação chamada de troca de bordo, para que, o procedimento de descarga continuasse do outro lado da embarcação. Lado oposto ao de origem do início da faina.

Quando atracou, no início da manhã deste mesmo dia, o navio Forte São Felipe tinha em seus porões, 58 mil toneladas de bauxita. Ao ser interrompida a faina, já com 35 mil toneladas descarregadas, o navio inicia a o procedimento de desatracação, agora carregado com pouco mais de 23 mil toneladas.

O navio Forte São Felpe iniciou, com pratico a bordo, o que seria uma rotineira desatracação para a considerada, e necessária troca de bordo, em virtude dos problemas operacionais do caís da Alumar. Aqui uma das incógnitas.

Em Nota, a Alumar se manifestou sobre o acidente:

“Na tarde deste sábado (17), um navio que atende a logística da Alumar encalhou na estrada do canal de acesso ao terminal de uso privado.

Embora o navio não seja controlado e operado pela Alumar, imediatamente, após o ocorrido, o Consórcio se colocou a disposição para apoiar a Praticagem, o Armador no navio responsável, e as autoridades competentes. Foram acionados, preventivamente, O Plano de Emergência Individual (PEI) e o Plano de Ajuda Mútua (PAM).

A Alumar reafirma o seu compromisso com os seus valores e os respeitos às pessoas e o meio ambiente.”

– Publicidade –

Outros destaques