terça-feira, 7 de fevereiro de 2023

Negligência pode ter causado morte de jovem

Foto: Reprodução/Internet

Ele sofria com o transtorno de MAV (Má Formação Arteriovenosa).

 

 

Foto: Reprodução/Internet

 

Um rapaz identificado como Railton Costa Oliveira Dutra, que estava internado desde dezembro de 2014 no HUUFMA (Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão), tentando fazer uma cirurgia no cérebro, morreu nesta terça-feira (26).  Ele sofria com o transtorno de MAV (Má Formação Arteriovenosa). Como o SUS (Sistema Único de Saúde) não forneceu o medicamento necessário para que ele fizesse a cirurgia, que custa R$ 7 mil, a família do paciente  entrou na justiça para garantir o benefício.

 

Segundo o advogado Rômulo Sauaia, que está atendendo o caso, apenas  no mês de maio, os familiares conseguiram os medicamentos, que foram enviados pela União.

 

Após a realização da cirurgia no HUUFMA, os médicos informaram que o procedimento foi um sucesso e que Railton Costa deveria  acordar uma hora depois, o que não aconteceu. Os parentes ficaram sem informações e somente no sábado (23), mais de 12h após a cirurgia, foram informados que o jovem havia sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e não havia nenhum neurocirurgião para realizar o atendimento dele.

 

Ainda de acordo com Sauaia, a médica plantonista, identificada como Dra. Michele, teria dito que o médico não estava presente e relatado que, como não apresentava sinais vitais, Railton estaria com morte cerebral. Em seguida, a médica teria voltado atrás e informado que isso precisaria ser confirmado através de exames.

 

O HUUFMA informou que toda a assistência necessária foi oferecida ao paciente. Porém, com a gravidade do quadro já apresentado por ele, infelizmente, o caso evoluiu para morte encefálica. 

– Publicidade –

Outros destaques