terça-feira, 28 de junho de 2022

G10 Editora

O glaucoma deve afetar 111,8 milhões de pessoas em 2040 segundo OMS

O glaucoma é uma doença crônica que não tem cura. Na maioria dos casos, desenvolve-se de forma lenta, no decorrer de meses ou anos, sem demonstrar nenhum sintoma. Pessoas com diabetes, traumas oculares e idade superior a 35/40 anos estão no principal grupo de risco. Em casos raros, pode ser do tipo congênito, quando atinge os recém-nascidos.

Há vários tipos de glaucoma, doença que deve afetar 111,8 milhões de pessoas em 2040, segundo projeção da OMS. O tipo mais comum é o glaucoma crônico simples.

O glaucoma pode piorar por uma simples falta de informação. Algumas atitudes são bem perigosas ao paciente com esse quadro clínico. Entre os erros mais comuns praticados por quem tem glaucoma, estão:

Viver sob estresse – Pessoas com altos níveis de estresse podem agravar o glaucoma. A pressão intraocular elevada é, comprovadamente, um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento da doença. O perigo maior está na demora da percepção que pode levar meses ou até anos.

Não usar colírio lubrificante – Sem isso o ressecamento dos olhos é inevitável. Evite o desconforto com produtos de qualidade e sob orientação médica

Usar colírio fora de hora – Respeite o intervalo correto de 12 em 12 horas e não esqueça de fazer uso do medicamento diariamente

Não fazer acompanhamento médico – a avaliação é indispensável para o controle da doença

Dados importantes:
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de brasileiros com deficiência visual é de cerca de 6,5 milhões. Dados do Atlas Vision, publicado pela International Agency for Blindeness Prevention (IABV) em 2020, indicavam que o Brasil tinha estimativa de 28,6 milhões de pessoas com perda de visão.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% das causas de deficiência visual podem ser prevenidas ou tratadas. O primeiro relatório mundial sobre visão, divulgado pela OMS em 2019, apontava que pelo menos 2,2 bilhões de pessoas têm deficiência visual ou cegueira, das quais pelo menos 1 bilhão são portadores de deficiência visual que poderia ter sido evitada ou que ainda não foi tratada.

De acordo com a publicação “As Condições da Saúde Ocular no Brasil 2019”, do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), a cegueira atingia 1,577 milhão de brasileiros (0,75% da população), sendo que 74,8% dos casos teriam prevenção ou cura, o que significa que essas pessoas poderiam estar enxergando, se tivessem recebido tratamento apropriado a tempo.

– Publicidade –

Outros destaques