quarta-feira, 17 de abril de 2024

PF investiga desvio de verbas públicas da Saúde e Educação em São Luís, Pinheiro e Palmeirândia

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (12), a Operação Irmandade, que investiga fraudes licitatórias, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro por gestores municipais em São Luís, Pinheiro e Palmeirândia. O dinheiro seria oriundo do Fundo Nacional de Saúde e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica.

Ao todo, teriam sido movimentados R$ 38 milhões dos cofres públicos, concentrados nos pregões 030/2018 e 016/2020. De acordo com a investigação, contratos estariam sendo firmados com empresas de propriedade dos próprios gestores municipais. Ainda segundo a PF, a suspeita foi confirmada por meio da análise das movimentações bancárias. ” Nessa oportunidade, constatou-se que parte dos pagamentos realizados pelo Poder Público para tais empresas era revertido para as contas do servidor público”, informa a Polícia Federal.

A Operação contou com 11 mandados de busca e apreensão, 10 de sequestro de valores e ordens de suspensão do exercício da função pública. Gestores envolvidos ficam proibidos de acessar ou frequentar a prefeitura, manter contato com outros investigados e se ausentar da comarca de sua residência durante a investigação.

As determinações judiciais, expedidas pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, contaram com 60 policiais federais. Caso as suspeitas sejam confirmadas, investigados responderão por fraude à licitação, peculato, lavagem de capitais e integrar organização criminosa. Juntas, as penas podem chegar a 34 anos de prisão.

Nome

A denominação “Irmandade” faz referência à composição da organização criminosa, que possui, tanto no núcleo político, quanto no núcleo empresarial, irmãos participantes do estratagema criminoso.

– Publicidade –

Outros destaques