domingo, 23 de junho de 2024

Primeira edição do “Crioula Festival” acontece em fevereiro na Casa Barrica

Em clima de pré-carnaval, o evento traz na programação: rodas de Tambor de Crioula, banda Crioula Festival, Betto Pereira, Bicho Terra, Anastácia Lia, César Nascimento, Quarteto Crivador, percussionistas Carlos Pial, Luiz Cláudio Farias; e a cantora Rita Benneditto para encerrar a festa. Uma mistura perfeita de música, tambor e alegria. O projeto tem o patrocínio do Instituto Cultural Vale, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com realização da Interart Produção Criativa, Ministério da Cultura/Governo Federal.

A abertura oficial do evento tem início dia 09 de fevereiro, quinta-feira, com um cortejo dos grupos de Tambor de Crioula. A concentração será em frente a Casa das Minas (Madre Deus), às 18h. O local de concentração do cortejo tem uma importância simbólica para a cultura popular, por fazer parte da programação que institui a Tambor de Crioula do Maranhão como Patrimônio Imaterial Cultural Brasileiro, com a presença do então ministro da Cultura, Gilberto Gil.

Mais de trinta grupos, entre os Tambores de Crioula de Mestre Felipe, Um Degrau de Santa Luzia, Mestre Apolônio, Mestre Leonardo, Carinho de São Benedito, Arte Nossa, Brilho de São Benedito, Amizade do Povo e Brinquedo de São Benedito participarão da programação.

O “Crioula Festival” é uma iniciativa que junta Música Popular e o Tambor de Crioula, como forma de valorizar e fomentar dois importantes segmentos culturais do Maranhão, ao mesmo tempo.

Os organizadores do evento são, o maestro Zé Américo Bastos, que faz a direção musical da festa, e o cantor e produtor cultural Emanuel Jesus, que assina a direção artística do projeto. Eles fazem o destaque sobre a importância da iniciativa para a cultura maranhense e brasileira.

“O Crioula Festival, para mim, é o momento em que a raiz da Cultura do Tambor de Crioula se junta com a Música Popular. É o momento em que, nós, que fazemos música popular, prestamos conta para os Mestres do Tambor do que eles nos ensinaram, ao mesmo tempo, sugerindo que numa integração grande com esse ritmo poderoso e essencial para todos nós, que essa música pode ser mais ainda. Além do que eles nos ensinaram, a gente começa a ousar um pouco usando o que a gente aprendeu com esses Mestres. Essa é a essência desse Festival. Essa confraternização da raiz dos Mestres de Tambor de Crioula com os fazedores de Música Popular. E viva o Tambor de Crioula do Maranhão!”, pontua o Maestro Zé Américo.

Emanuel Jesus ressalta que “essa será a festa do Tambor de Crioula do Maranhão! Esse festival foi pensado de forma estratégica, onde juntamos o segmento musical com o Tambor de Crioula, duas fortes expressões artísticas e culturais que temos em nosso Estado. E de forma inédita, vamos apresentar esse espetáculo para o público. Temos um potencial cultural gigantesco que o Brasil e o mundo precisam conhecer! Essa é uma iniciativa que tem a intenção de contribuir para a difusão dessa manifestação cultural poderosa, e ao mesmo tempo fomentar a cadeia produtiva da cultura”.

Como contrapartida social, no dia 07 de fevereiro, terça-feira, na U. E. Henrique de La Roque, no bairro da Vila Embratel, serão realizadas oficinas de percussão, canto e dança, direcionadas aos estudantes da comunidade. Uma forma de contribuir para a salvaguarda do Tambor de Crioula e difundir essa importante manifestação cultural entre os jovens.

Tambor de Crioula – É uma forma de expressão de matriz afro-brasileira que envolve dança circular, canto e percussão de tambores. Seja ao ar livre, nas praças, no interior de terreiros, ou associado a outros eventos e manifestações, é realizado sem local específico ou calendário pré-fixado. Reconhecido em 2007 como Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Desde então, o 18 de junho se tornou Dia Nacional marcado por festas em diversas cidades do Maranhão. Trazida para o estado por escravizados de diversas regiões africanas nos séculos XVIII e XIX, como divertimento ou uma forma de louvor e pagar promessa a São Benedito.Essa manifestação afro-brasileira ocorre na maioria dos municípios do Maranhão, envolvendo uma dança circular feminina, canto e percussão de tambores. Dela participam as coreiras ou dançadeiras, conduzidas pelo ritmo intenso dos tambores e pelo influxo das toadas evocadas por tocadores e cantadores, culminando na punga ou umbigada – gesto característico, entendido como saudação e convite. (FONTE: Fundação Palmares)

PROGRAMAÇÃO CRIOULA FESTIVAL

DIA 07 FEV (Terça-feira) – OFICINAS

9h às 17h – Oficinas de percussão, canto e dança na U. E. Henrique de La Roque (Vila Embratel)

DIA 09 FEV (Quinta-feira) – CORTEJO

18h – Concentração Cortejo de Abertura em frente a CASA DAS MINAS (Madre Deus)

18h30 – Saída do Cortejo Grupos de Tambor de Crioula (São 30 grupos, entre eles, Tambores de Crioula de Mestre Felipe, Um Degrau de Santa Luzia, Mestre Apolônio, Mestre Leonardo, Carinho de São Benedito, Arte Nossa, Brilho de São Benedito, Amizade do Povo e Brinquedo de São Benedito).

CASA BARRICA – Madre Deus

19h30 – Encerramento do Cortejo na Casa Barrica

19h45 – Abertura com grande Roda de Tambor de Crioula

21h – Banda Crioula Festival

Convidados: Anastácia Lia e Carlos Pial

Show Betto Pereira

22h30 – Roda com grupos de Tambor de Crioula

23h – Show Bicho Terra

DIA 10 FEV (Sexta-feira)

19h30 – Roda com grupos de Tambor de Crioula

20h30 – Show Rufar dos Tambores – Luiz Cláudio Farias e banda Parôpraquentá

21h – Banda Crioula Festival

Convidados: Anastácia Lia e Carlos Pial

Show César Nascimento

23h00 – Roda Grupos de Tambor de Crioula

DIA 11 Fev (Sábado)

19h30 – Roda grupos de Tambor de Crioula

20h30 – Quarteto Crivador

21h – Banda Crioula Festival

Convidados: Anastácia Lia e Carlos Pial

Show Rita Benneditto

23h00 – Roda Grupos de Tambor de Crioula

– Publicidade –

Outros destaques