sexta-feira, 30 de setembro de 2022

Professor, militante LGBTQIA+ é assassinado no interior do Maranhão

Na manhã desta quarta-feira (10), o corpo do professor Neylson Oliveira da Silva foi encontrado num matagal, no bairro Laranjeiras, na cidade de Açailândia.

Segundo informações da Polícia Civil, Neylson foi morto por asfixia e estrangulamento. Neylson era professor da disciplina Libras, na Universidade Estadual da Região Tocantina (UEMASUL). Além disso, fazia trabalhos comunitários e era professor do ensino básico da Escola Municipal Fernando Rodrigues, também em Açailândia.

Natural de São Luís, Neylson morava em Açailândia onde era militante do partido PSTU ligado a questões dos movimentos LGBTQIA+. Há suspeita de crime de latrocínio (roubo seguido de morte), porém, pela atuação do professor, há também suspeita de LGBTfobia.

O presidente do PSTU, Saulo Arcângeli, se manifestou nas redes sociais, onde escreveu:

“Desde estudante, Neylson  se envolveu com as lutas para conquistar direitos políticos e sociais para a classe trabalhadora. Sobretudo, era um militante da causa LGBTI, das lutas do campo, da educação especial etc. Foi diretor do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFMA, do Programa Nacional de Educação por Reforma Agrária (PRONERA). Era também um líder sindical e da categoria de professores da cidade de Açailândia. Existem suposições de que teria sido um latrocínio e, pelo requinte de crueldade dos criminosos, não resta dúvida que esse crime está também atravessado por LGBTfobia”. (Editado)

Neylson era graduado em Filosofia, fazia Mestrado no programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Maranhão, e desenvolvia atividades voluntárias de tradução e interpretação em Libras.

A UEMASUL divulgou nota solidária onde diz que Neylson era um “profissional responsável, dedicado e apaixonado pela docência”.

A prefeitura de Açailândia também publicou uma nota de pesar :

– Publicidade –

Outros destaques