sábado, 13 de abril de 2024

Tragédia poderia ter sido evitada, diz promotor

De acordo com Cláudio Guimarães, em São Luís não existe fiscalização da Lei do Silêncio

 

 

A morte do assessor jurídico, Bruno Eduardo Matos, levanta a questão do desrespeito a lei do silencio. O suspeito de ter esfaqueado Bruno, estaria revoltado com o som alto da comemoração da vitória do senador eleito, Roberto Rocha. Além de Bruno, o irmão e dele um amigo ficaram feridos. Especialistas reclamam da falta de fiscalização da lei aqui na capital.

– Publicidade –

Outros destaques