quarta-feira, 22 de maio de 2024

R$ 500 milhões para o saneamento das cidades de São José de Ribamar e Paço do Lumiar

A Proparco, braço de financiamento da Agência Francesa de Desenvolvimento focado no desenvolvimento do setor privado, e a BRK, empresa responsável pelos serviços de saneamento em São José de Ribamar e Paço do Lumiar (MA), assinaram uma carta de interesse para financiar a expansão dos serviços de água e esgoto nos dois municípios. O acordo, que conta também com o BID Invest, deve garantir cerca de R$ 500 milhões em recursos, beneficiando mais de 300 mil maranhenses.
A assinatura ocorreu no último mês, com representantes da Proparco que vieram ao Brasil para firmar apoios a projetos aderentes aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), entre eles o de garantir disponibilidade e manejo sustentável da água e saneamento para todos, o ODS 6.
“Essa parceria é também uma forma de reconhecimento ao trabalho que estamos fazendo em São José de Ribamar e em Paço do Lumiar. A Proparco e o BID Invest são bastante criteriosos na seleção dos projetos e conseguimos demonstrar que a expansão dos serviços de saneamento no Maranhão vai trazer benefícios sociais e econômicos para milhares de pessoas”, destaca Otávio Junqueira, diretor da BRK.
A empresa opera os serviços de água e esgoto nos dois municípios maranhenses desde 2015. Naquele ano, as duas cidades tomaram a decisão de enfrentar o desafio do saneamento básico, formando um consórcio que delegou à BRK a gestão dos serviços e os investimentos necessários para a ampliação do acesso.
Até o ano de 2015, apenas 38% da população de São José de Ribamar e Paço do Lumiar recebia água em casa. Muitos moradores buscavam água duas vezes por semana, utilizando baldes e bacias, em um sistema de poços que funcionava de forma intermitente. Hoje, após os investimentos feitos pela empresa, 91% da população dos dois municípios recebe água tratada diretamente na torneira. A produção de água passou de 66 milhões de litros para 106 milhões de litros por dia, um incremento de 61%. Os avanços também ocorreram nos serviços de esgotamento sanitário. Até 2015, apenas 8% dos moradores tinham acesso a coleta e tratamento de esgoto. Hoje, esses números subiram para 43% e 33%, respectivamente.
Para os próximos anos, estão previstos cerca de R$ 600 milhões em novos investimentos para os serviços de saneamento nas duas cidades.

– Publicidade –

Outros destaques