terça-feira, 16 de abril de 2024

Sampaio e Ceará repetem jogo equilibrado de São Luís e terminam iguais

 

Assim como em São Luís, Sampaio e Ceará ficaram no empate, desta vez, na Arena Castelão, em Fortaleza, que registrou o placar de 1×1, num dos grandes clássicos do futebol nordestino, válido pela vigésima oitava rodada da Série B.

 

O começo de jogo mostrou o time do Sampaio bem postado em campo, trabalhando a bola com serenidade no meio campo, sem deixar espaços para a equipe do Ceará, que buscava jogadas em profundidade para se aproximar da área Tricolor.

O jogo seguia equilibrado, e o Sampaio quase se aproveita de um descuido da defesa cearense para abrir o placar, mas o Ceará conseguiu se safar e escapou no contra ataque, puxado por Magno Alves, que serviu Bill. O placar estava aberto na Arena Castelão.

O Ceará se animou e buscou a pressão, mas a defesa do Sampaio se defendia a todo custo, segurando o ímpeto dos donos da casa.

Aos vinte e um minutos, chance para o Tubarão. Pimentinha sofre falta na intermediária. Gilton Ribeiro cobra com veneno e obriga o goleiro a espalmar para escanteio.

Na casa dos trinta minutos, o Tricolor chegou forte na área do Ceará; primeiro com um chute forte de Tote, que foi mandado para escanteio pelo goleiro, e depois com Pimentinha numa cabeçada pra fora.

Aos quarenta minutos, a valentia do Sampaio foi premiada. Eloir arrancou pela esquerda e jogou pra dentro da área, o zagueiro do Ceará se atirou com os braços abertos e o árbitro mandou colocar na marca fatal. O próprio maestro bateu, com a categoria de sempre, e deixou tudo igual.

A igualdade prevaleceu até o final do primeiro tempo, justificando o equilíbrio do clássico nordestino.

A segunda etapa começou em ritmo forte, com o Sampaio demonstrando ousadia em campo. Em chute violento de fora da área, Uillian Correia queima contra o goleiro do Ceará, que espalma pra frente, e paulista quase completa para o gol.

Visando reforçar seu lado direito defensivo, o técnico Lisca promoveu a entrada de Edimar no lugar de Tote, mas o zagueiro Tricolor ficou pouco tempo em campo.

Com um homem a menos, restou ao Sampaio defender o empate de qualquer forma. A pressão aumentava com o passar do tempo, e Rodrigo Ramos teve que se agigantar debaixo da trave para evitar a derrota.

Bravamente, a Bolívia soube se segurar e computar um ponto na Arena Castelão, diante de um adversário agressivo, que pressionou até o fim.

A delegação Tricolor segue para Natal nesta quarta-feira, onde realiza um treino de recuperação no CT do Globo, em Cearamirim, trinta quilômetros de distância da capital, e dará início à preparação para o jogo contra o América, no sábado.

– Publicidade –

Outros destaques