terça-feira, 29 de novembro de 2022

Sejap oferta ações de saúde aos presos

Consultas médicas e serviços odontológicos foram algumas das ações oferecidas aos presos da Unidade Prisional de Ressocialização (UPR) de Rosário, cidade distante 75 km de São Luís. A iniciativa, que corresponde às atividades da XV Semana do Encarcerado, é resultado de parceria da Secretaria de Estado da Justiça e da Administração Penitenciária (Sejap) com a Prefeitura do município.

Coordenadas pela Secretaria Adjunta de Justiça (Saju), as ações, que ocorrem em todo estado, objetivam intensificar a prestação de assistência à saúde no sistema penal. Todos os 80 internos UPR de Rosário foram beneficiados com os serviços. A unidade é modelo em políticas assistenciais de reintegração social de presos no Maranhão. Os trabalhos, que funcionam de forma a prevenir que os detentos contraiam doenças contagiosas (como tuberculose, doenças sexualmente transmissíveis – entre elas a Aids, hanseníase) e não contagiosas (como diabetes e hipertensão), visam ainda desenvolver ações de promoção à saúde, como a vacinação contra hepatites, tétano e febre amarela.

A coordenadora da XV Semana do Encarcerado no Maranhão, Kelly Carvalho, avaliou os trabalhos como sendo muito positivos. Segundo ela, a promoção dessas ações viabiliza um direito fundamental do homem privado de liberdade, que é á assistência à saúde. “Nós sabemos que o único direito que o preso perde é o de ir e vir, mas que todos os outros lhe podem e devem ser concedidos”, disse Kelly Carvalho.

Os serviços odontológicos, um dos mais procurados pelos internos, eram realizados dentro da Unidade Móvel de Saúde. Instalado no estabelecimento carcerário, o automóvel foi totalmente adaptado para realizar restaurações, extrações e limpezas. Além disto, os internos ainda tiveram direito a atendimento médico com a presença de um clínico geral. Em casos mais graves de saúde, os internos são imediatamente encaminhados para um atendimento externo. “Todos os atendimentos estão sendo feitos de forma dinâmica, com a presença de profissionais qualificados que foram disponibilizados pela administração municipal”, contou a assistente social da unidade, Maira Dutra.

Dentro da programação, foram inseridos ainda testes rápidos de HIV/Aids e de tuberculose. Os internos que optavam por fazer os testes antes eram munidos de informações a cerca da doença. O interno Antônio Aires, de 28 anos, falou que ações como essas vêm beneficiar a população carcerária. De acordo com ele, além de favorecer a saúde do detento, os trabalhos demonstram que a política assistencialista vem sendo executada com êxito. “Esse trabalho que está sendo realizado mostra que nós estamos sendo valorizados. É muito bom porque podemos fazer exames e sabermos como estamos de saúde”, destacou ele.

– Publicidade –

Outros destaques