terça-feira, 23 de abril de 2024

Tutora explica porque cães atropelados estavam na rua

cães atropelados

A tutora dos animais atropelados na última terça-feira (14) no Residencial Pinheiros, identificada como Leila Cristina Oliveira afirmou que os cães estavam na rua por conta de um arrombamento em sua residência.

“Na tarde de terça, uma pessoa tentou invadir a minha casa e arrombou o portão, mas os cachorros não deixaram essa pessoa entrar. Mas, em compensação, a casa ficou aberta e eles ficaram nas ruas e ambos tinham placas de identificação na coleira”, afirmou.

Segundo Leila, a cadela que acabou morrendo, Duquesa, tinha sete anos de idade e estava com ela desde que era filhote e nunca atacou ninguém, era muito mansa. O mesmo ocorre com o sobrevivente, Pepe, de dois anos de idade.

A tutora ainda afirma que demorou a denunciar à Polícia, porque acreditava que a morte de Duquesa teria sido decorrência de um atropelamento comum. Ao ver o vídeo das câmeras, ela mudou de opinião e acredita que a condutora Gisele Atan é uma assassina.

“Hoje de manhã eu vi o vídeo no meu Whatsapp enviado por uma aluna e foi que eu tive noção que uma assassina, o que ela fez ali com meu cachorro poderia fazer com um ser humano. Aquilo é desumano. Os cachorros não estavam mal a ninguém, e sequer tinham avançado nela. Essa pessoa é doente”, desabafou aos prantos.

Ouça o áudio completo de Leila Oliveira:

– Publicidade –

Outros destaques