quinta-feira, 23 de maio de 2024

UFMA se torna detentora de 70 mil peças arqueológicas

A Universidade Federal do Maranhão se torna detentora de 70 mil peças arqueológicas encontradas no terreno da Refinaria Premium em Bacabeira. Os artefatos estarão, a partir da manhã desta quarta-feira (22), em processo de organização no Miniauditório do andar térreo da Asa Norte do Centro Pedagógico Paulo Freire, na Cidade Universitária, com a presença do coordenador do Laboratório de Arqueologia da UFMA (LARQ), o professor Alexandre Navarro, e do arqueólogo da Petrobrás, Arkley Bandeira, que, junto à sua equipe, fez o estudo arqueológico, encontrou as peças, fez limpeza e acompanhou o transporte das peças da cidade de Bacabeira ao Campus do Bacanga.    

 

As peças datam de período histórico e pré-histórico, com artefatos de 9 mil anos atrás e até do período colonial. O LARQ será o detentor das peças para estudá-las, analisá-las em laboratórios e realizar exposições futuras. Segundo Arkley Bandeira, as peças representam o registro mais antigo de ocupação do Maranhão, sendo incapaz até mesmo de supor etnia de povos que viviam há 9 mil anos, período em que os habitantes possivelmente eram nômades, caçadores e coletores e utilizavam instrumentos de pedra lascada.

 

Entre os artefatos em organização no Centro Pedagógico Paulo Freire, estão peças de cerâmica, lâminas de machadinhas, instrumentos de pedra lascada e pedra polida, pilões, artefatos de engenho, entre outros, sendo que a maioria das peças encontradas são de cerâmica, em nove sítios arqueológicos descobertos em Bacabeira.

– Publicidade –

Outros destaques