segunda-feira, 3 de outubro de 2022

André Fiello anuncia primeiro álbum “Anagrama”, para novembro

Considerado uma das grandes revelações do meio gospel do ano de 2018 ao lançar seu primeiro single, uma releitura da canção “Quero Pedir”, da cantora Darlene Lima, André Fiello despontou como promessa da cena musical cristã brasileira. O cantor e compositor amazonense é natural de Manaus, mas reside em São Luís do Maranhão.

André Mello de Freitas hoje atende pelo nome artístico de André Fiello, que nasceu da junção dos sobrenomes de seus pais e se tornou a assinatura profissional do jovem, além de inspirar sua mais nova era artística, “Anagrama”, projeto que propõe uma imersão em experiências pessoais através de um jogo de letras com seu próprio nome.

André por André

Desde a primeira infância, André já demonstrava afinidade com a música e, ao longo dos anos, iniciou o estudo de canto lírico para aperfeiçoar suas habilidades. Aos 12, ele já compunha suas primeiras canções e, de maneira orgânica, sua presença em grupos musicais e corais já era cada vez mais frequente. A esta altura, ele já se apresentava sozinho em eventos variados.

Falando de sua atuação na música, o estilo do manauara tem como alicerces gêneros diversos dentro do seu segmento. “Sou um artista brasileiro independente e minhas influências musicais surgiram a partir da música cristã contemporânea conhecida como ‘worship’, da MPB, do pop e do R&B”, sinaliza.

Trajetória

André Fiello iniciou oficialmente sua carreira através de um cover de “Quero Pedir”, da cantora Darlene Lima, no ano de 2018. Posteriormente, passou a fazer participações em programas de TV, rádios, estabelecimentos comerciais e grandes eventos religiosos. Entre experiências profissionais e informais, já são mais de 20 anos de vivência na música.

Em 2020, ele lança o single “Nostalgia”, seu primeiro autoral, onde o foco se firmava em um intenso sentimento de saudade e no lado mais sentimental e artisticamente conceitual de André. Em seguida, foi a vez de mais uma releitura ganhar vida. A canção escolhida foi “Te Adorarei”, lançada originalmente por Rosy Santana, cujo videoclipe trouxe uma novidade especial: a parceria com um intérprete de Libras. “Nós buscamos enfatizar a importância da inclusão na adoração. Foi um projeto bastante significativo e me trouxe bons frutos”, reforça.

Ao final deste mesmo ano, André ainda foi selecionado para participar de um concurso musical na capital maranhense, o Festival Canta São Luís, onde pôde se apresentar para milhares de pessoas, entre presentes no local do evento e participantes de transmissões online. Foi mais um potencial meio de projeção para o trabalho do artista na Ilha do Amor.

Estreia no fim do ano

Recentemente, André Fiello iniciou a divulgação de seu primeiro disco, intitulado “Anagrama”, que tem como carro-chefe a canção “Ansiedade”, liberada no mês de abril. Através de um acróstico do próprio nome, uma forma de versificação com base em cada letra, André entregará aos seus ouvintes 11 composições de sua autoria.  Dentre reflexões passadas, o presente autoconhecimento e as expectativas para o futuro, ele se deleita em um álbum audacioso e que revoga suas emoções mais particulares.

A estratégia escolhida será dividir o trabalho em duas partes, onde a primeira trará canções derivadas das letras que formam o nome “André”, e a segunda, com as do sobrenome, “Fiello”. Para ele, foi incrível explorar a si mesmo com mais profundidade e externalizar sentimentos encapsulados durante o processo criativo. “Me senti abraçado, como se estivesse desabafando com alguém de extrema confiança”.

Os dois EP’s de “Anagrama” terão uma sonoridade diferente dos trabalhos anteriores do cantor, bebendo de uma fonte mais próxima do pop rock, do country e do indie, mas sem perder a essência da música cristã que formou a personalidade musical de André. O ato de abertura chegará logo mais, em novembro, enquanto o segundo está previsto para o primeiro trimestre de 2023.

– Publicidade –

Outros destaques