sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

Auxílio Combustível Governo do Maranhão

Covid-19: MP recomenda que Governo do MA negue licenças para eventos privados com aglomeração

Imagem ilustrativa
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Uma recomendação emitida na última quinta-feira (6) ao Governo do Maranhão pelo Ministério Público, por meio do Procurador Geral de Justiça Eduardo Nicolau, pede para que o Executivo tome uma série de ações para a contenção dos casos de Covid-19, crescentes no estado. Dentre elas, estão a volta da obrigatoriedade de máscaras em ambientes públicos e privados, fechados e abertos, e a negativa de licenças a festas e eventos privados que possam gerar aglomeração.

O documento também pede para que o próprio governo proíba eventos como vaquejadas, festejos, carnaval e similares, enquanto perdurar a emergência sanitária decorrente da pandemia de Covid-19. A base para a recomendação, além do aumento de casos da doença – com dados disponibilizados pelo Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde -, é a renovação do decreto de Estado Calamidade Pública, assinado pelo governador Flávio Dino no último dia 3.

A Prefeitura de São Luís anunciou, no dia 5, o cancelamento do Carnaval em São Luís – mas não anunciou medidas para conter os eventos privados que poderão acontecer durante as festividades. Até o momento, o Governo do Maranhão retomou a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes fechados, mas não se pronunciou acerca do Carnaval público ou privado.

De acordo com o Boletim Epidemiológico do domingo (9), 48% dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 estão ocupados na Grande Ilha; 56,67% em Imperatriz e 63,33% nas demais regiões.

Recomendação

Art. 1º Ao Governador do Estado do Maranhão a urgente edição de normativo fixando normas estaduais específicas acerca das
medidas sanitárias destinadas à contenção da expansão da contaminação da Covid-19 e ao enfrentamento do estado de calamidade
pública, conforme preceitua o art. 2º do Decreto Estadual nº 37.360/2022, prevendo, dentre outras medidas:
I. – o uso obrigatório de máscaras em locais públicos e privados, fechados ou abertos;
II. – a observância do distanciamento de segurança para evitar a contaminação pelo vírus da Covid-19 (SARS-Cov-2) e suas variantes (Delta e Ômicron);
III. – a proibição de festividades e demais eventos que possam ocasionar qualquer tipo de aglomeração, como vaquejadas, festejos, carnaval e similares, enquanto perdurar a emergência sanitária decorrente da pandemia de Covid-19;
IV. – a negativa de licenças e autorizações para festividades e demais eventos privados que possam ocasionar qualquer tipo de aglomeração, enquanto perdurar a emergência sanitária decorrente da pandemia de Covid-19, e
V. – a adoção de todas as medidas administrativas e judiciais necessárias para impedir a ocorrência de aglomerações e a realização de eventos festivos, especialmente no período carnavalesco, bem como enquanto perdurar a pandemia de Covid-19.

REC-GPGJ – 12022
– Publicidade –

Outros destaques