quarta-feira, 7 de dezembro de 2022

36 anos depois do crime, tribunal do júri condena autor de homicídio a 27 anos de reclusão

Na próxima terça-feira (25), completa 36 anos de um homicídio ocorrido na cidade de Pirapemas; um crime praticado no dia 25 de outubro de 1986, no Clube Tropical, com quatro disparos de arma de fogo à queima-roupa.

Enfim, em sessão do Júri de Cantanhede no dia 19, o réu Henrique Jorge Mendes Andrade foi condenado a 27 anos de reclusão pelo homicídio duplamente qualificado (motivo fútil e impossibilidade de defesa) de Jaime dos Santos Rodrigues, de 29 anos.

Atuou no júri o promotor de justiça de Cantanhede, Márcio Antônio Alves de Oliveira. O promotor de justiça aposentado Celso Pinho foi o assistente da acusação. Todas as teses defendidas pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA) foram acatadas. Proferiu a sentença o juiz Guilherme Amorim.

Operação

Uma operação conjunta entre MPMA, Núcleo de Inteligência da Polícia Civil do Maranhão e Núcleo de Apoio à Investigação da Polícia Civil do Pará resultou na prisão de Henrique Andrade, que estava foragido na cidade de Redenção (PA).

Após o cadastramento do mandado de prisão pelo secretário judicial Sebastião Milen, ainda na madrugada, foi iniciada uma operação conjunta coordenada pelo promotor de justiça Márcio Antônio Alves de Oliveira, pela Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), coordenada pelo delegado Carlos Alessandro com apoio do delegado Luciano Bastos, e pela Polícia Civil do Pará.

Como resultado, após campana policial realizada pela Polícia Civil do Pará, foi efetivada a prisão preventiva de Henrique Jorge Mendes em sua residência na cidade de Redenção, no Pará.      

– Publicidade –

Outros destaques