quarta-feira, 30 de novembro de 2022

A arte visual na selva de pedra

Segundo Marx e Engels o conceito de cidade seria a realidade da concentração da população dos instrumentos de produção, do capital, dos prazeres e das necessidades, e é com a necessidade dos prazeres que eu entro na arte urbana de São Luís para ampliar a representação de cidade para além da reunião de um espaço restrito de moradores.
A arte urbana, que teria surgido, como um estilo nos Estados Unidos em 1970 e se espalhado pelo mundo é uma manifestação que nos remete a tempos ainda mais remotos, na antiguidade, gregos e romanos já transmitiam mensagens pelas ruas das cidades através de desenhos, além do que haviam muitos outros artistas nesses centros urbanos que se expressavam pela música, teatro e dança, também nas ruas.
No Brasil a arte de rua surge na década de 1970, curiosamente no período do regime militar com obras de grafite em muros e paredes da cidade de São Paulo, época conturbada no país.
Em São Luís, uma cidade bela por natureza e cultura, essas intervenções artísticas urbanas, a décadas vem propondo a população um sentimento subjetivo diante da cidade concreta, artistas usam o grafite, stencil, colagens e outras técnicas para fazer um convite a apreciação da arte fora dos locais consagrados destinados a esse tipo de exposição como teatro, galerias, cinemas. A arte aqui é ocupar as ruas, muros, calçadas, escadas, pontes, viadutos e onde mais pintar a imaginação.
Por todos os cantos da São Luís é possível ver essas ações realizadas com caráter dinâmico e muitas das vezes passageiro, utilizando objetos e materiais variados com a intenção de provocar uma mudança no cenário já existente.
Importante ressaltar nos últimos tempos a forma como essas expressões passaram a ser vista, agregando valor cultural, econômico e estético a cidade, dando voz e vez principalmente para as minorias que anseiam por se comunicar, e com os artistas conquistando posição de destaque dentro desse cenário, abrindo portas para novos modelos de trabalho e de cidade.
A arte urbana representa o cotidiano sem fronteiras, o alívio do caos oficial através da contemplação, e uma maneira de dialogar com a sociedade de forma talentosa seus conceitos, suas contradições e sua beleza enquanto nos deslocamos pela selva de pedra.
Repare nisso em sua ida ou vinda ao trabalho, escola ou outros afazeres, seu caminho nunca mais será o mesmo.

– Publicidade –

Outras publicações