quinta-feira, 16 janeiro, 2020

ACM & HARMS

O Maranhão tem instituições seculares que contribuíram e contribuem para o desenvolvimento do Estado, a despeito dos obstáculos que enfrentam. Como se não bastassem as dificuldades decorrentes da massacrante carga tributária – embaraços oficiais, não raro feitos com endereço certo, para aniquilar uns e beneficiar outros, – há os achaques que a burocracia propicia e estimula.

Não é difícil de entender, portanto, os motivos que levam grandes empresas a se envolver em esquemas de corrupção, assumindo o risco de verem seus nomes e os de seus fundadores e dirigentes nas páginas policiais, por sucumbirem a falcatruas impostas por agentes públicos, para lhes facilitar sucesso empresarial.

Mas há instituições e empresas que sobrevivem incólumes. A Associação Comercial do Maranhão é uma delas. Neste ano completou 165 anos, iniciados em 21 de agosto de 1854. Na esquina entre as Praças Benedito Leite e Pedro II, em São Luís, está o Palácio do Comércio, tradicional e imponente prédio da sede da ACM, onde a Instituição, por seus sucessivos presidentes, tem prestado relevantes serviços aos seus associados e, por consequência, à comunidade

Do aniversário da ACM em 2019 faz parte a homenagem a seus ex-presidentes e à Harms & Cia. Ltda, empresa que também é símbolo de longevidade, porque fundada em 04 de junho de 1946 e há setenta e três anos presta serviços de qualidade, revestidos pela credibilidade que seu fundador – Hellmut Pflueger – imprimiu-lhe. Características essas às quais seu filho Ernst – segunda geração – deu continuidade.

A firma, como registrou Theresa Pflueger em seu livro As casas que habitam em mim – recorte de uma busca (São Luís, 2016, p. 105), “atravessou gerações e agora está sob a direção dos netos do Senhor (Hellmut) Pflueger – Oswaldo, Lídia e Fábio”, filhos da autora com Ernst.

Inicialmente voltada para a representação comercial e vendas, adaptou-se às mudanças e, com a implantação de grandes projetos, investiu no agenciamento marítimo, posteriormente ampliando sua atuação para a logística de cargas, acompanhando os avanços da globalização.

Instalou-se inicialmente na Rua Portugal, antiga Rua do Trapiche, na Praia Grande, cujos sobrados foram objeto de acurado estudo de Francisco Fuzzetti de Viveiros Filho (Chico Maranhão) (Urbanidade do Sobrado – Um estudo sobre a arquitetura do sobrado de São Luís, SP, Hucitec, 2006). Da Praia Grande mudou-se para um belo casarão na Praça Gonçalves Dias, antigo Largo dos Amores, depois, dos Remédios, conforme registrou Domingos Vieira Filho (Breve História das Ruas e Praças de São Luís, Maranhão, 1971, p. 87).

Conhecida e respeitada nacional e internacionalmente, acompanhando a tendência do mercado, como destaca Theresa Pflueger em seu livro, a Harms & Cia. Ltda “teve negócios diversificados, mas sempre ligados à navegação portuária. Hoje é uma firma de Shipping Agency, Brokerage and Logistics Operator”.

Parabéns à ACM pelo aniversário e pelo justo reconhecimento que faz a seus ex-presidentes e à Harms. E à família Pflueger, que tem sabido honrar o legado de responsabilidade, honestidade e trabalho deixado por Hellmut e Ernst.

*Advogado. E-mail: carlos.nina@yahoo.com.br

Categorias relacionadas:
- Publicidade -

Mais recentes

Rayssa Leal, a Fadinha do Skate, é indicada a Prêmio Laureus

A maranhense Rayssa Leal, de apenas 12 anos, conhecida como a fadinha do skate, está entre os seis finalistas na categoria de melhor atleta...
- Publicidade -