quinta-feira, 30 de junho de 2022

G10 Editora

Dilma diz que se não puder dar entrevistas no Palácio da Alvorada será “uma sem-teto”

Após o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro José Antonio Dias Toffoli, afirmar que há “uso indevido” do Palácio da Alvorada por Dilma Rousseff (PT), a presidente e candidata à reeleição se defendeu neste domingo (21). Ela falou que os antecessores (Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva) já tinham esse costume.

A lei não permite que candidatos à reeleição que permaneçam no cargo utilizem a máquina pública para obter vantagem. Dias Toffoli considera que o fato de Dilma aparecer na biblioteca do palácio dando entrevista como candidata “é um símbolo de poder”.

A presidente reforçou que sempre pede aos jornalistas para que não mostrem os brasões do governo durante as coletivas e que, se a Justiça proibir as coletivas no Alvorada, ela terá que atender a imprensa na porta do palácio.

— Eu não terei onde dar entrevista. Eu não tenho casa aqui [em Brasília], não pode ser no Palácio da Alvorada. Eu serei sem-teto e irei para a rua dar entrevista. Eu não tenho como, não tem outro local.

Dilma disse que respeita a posição do ministro, mas que aguarda uma posição do tribunal sobre o assunto. Ela fez questão de lembrar que divide as agendas entre candidata e presidente.

 

IBGE

Sobre o erro em números da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Dilma disse que o governo federal tem “obrigação de investigar”.

— Nós jamais aceitamos isso [falhas] dentro do governo, em qualquer equívoco. Exemplo: no caso daquele fato que uma pessoa usando computador do governo foi lá e alterou a Wikipedia de dois jornalistas, nós abrimos sindicância com esse mesmo grupo e descobrimos bem direitinho quem fez, como fez.

Ela ainda justificou a necessidade de uma comissão para apurar o caso.

— Não pode deixar que seja o mesmo órgão onde aconteceu [que investigue]. A gente resolveu botar [na comissão] Casa Civil, Ministério da Justiça, porque trabalha com Polícia Federal e perícia, AGU [Advocacia-Geral da União], porque tem que trabalhar dentro da legalidade, e o [Ministério] do Planejamento, porque está envolvido.

Por fim, ela garantiu que será descoberto o que provocou o erro “sem sobra de dúvida”. Se a comissão constatar alguma irregularidade, poderá ser aberto um PAD (processo administrativo disciplinar) contra os servidores envolvidos.

 

Pessoas com deficiência

Hoje é o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência e Dilma começou a entrevista destacando ações do governo na área de inclusão. Segundo ela, recursos federais foram destinados para adaptar mais de 25 mil escolas. A União também entregou 1.400 ônibus escolares adaptados, por meio do programa Viver sem Limites.

Na área de habitação, a presidente disse que o Minha Casa Minha Vida tem unidades destinadas a pessoas com deficiência, além de prioridade no cadastro. Ela prometeu criar cinco centros de treinamento de cães-guia. Atualmente, existe um, em Santa Catarina.

— Eu acho que o cão-guia para um cego faz a diferença. Além de ele ter uma mobilidade muito maior, ele tem um cachorro amigo. 

– Publicidade –

Outros destaques